ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

O Grupo de Desenvolvimento dos Clubes de Computação e Eletrônica para Jovens criou um novo produto para o divertimento e aprendizagem das famílias cubanas, Ludox, a primeira plataforma on-line criada por uma instituição nacional para jogar videogames em um site e que a partir de agora está disponível para todos, através do endereço enlaceludox.cubava.cu.

No contexto da jornada pelo 30ª aniversário dos Clubes de Computação, comemorado em 8 de setembro, o coletivo dessa instituição criou a plataforma que até o momento conta com mais de 40 videogames, deles 13 são de produção nacional.

«Pode-se acessar ao site a partir de quaisquer dispositivos — celulares, tablets ou PC — e os videogames podem ser desfrutados off-line, jogar na própria web ou ligado a outros clientes», segundo as declarações exclusivas ao Granma Internacional da diretora de Programas da instituição, Mestre em Ciências Danays Moreno Moreno.

Galaxia, Súper Bola, Tasilany, Beisbolito, Activando Neuronas e Gesta Final, são alguns dos 13 videogames cubanos criados pelos Clubes de Computação e aos quais se pode acessar através da plataforma.

«O resto, de produção internacional, são jogos de acesso livre em Internet e que foram incluídos para que as famílias cubanas possam acessar a eles, a partir do domínio .cu», explica.

«Sob o princípio de que divertir-se é aprender, a variedade de videogames que lançamos — acrescenta Danays Moreno — tem um caráter interativo para adquirir habilidades de pintura, por exemplo, ampliar conhecimentos de história, ativar processos psíquicos, como a memória e atenção, desenvolver o pensamento e as faculdades motrizes».

Ludox inclui também um portal de notícias, onde os clientes podem obter informações acerca das novidades recentes no mundo dos videogames e proporcionará ligações a outros produtos dos Clubes de Computação, entre os que se destacam La Mochila e El Estanquillo. «Também encontrarão o portal de contato com acesso ao e-mail do grupo de desenvolvimento dos Clubes de Computação, e poderão enviar suas perguntas e sugestões acerca dos conteúdos da plataforma», comenta.

OS DESAFIOS DO NOVO PROJETO

O projeto Ludox surgiu em janeiro, com o propósito de resgatar os videogames de produção nacional, criados nos últimos anos, e que, por ocasiões, desconhece-se que existem ou o acesso a eles.

«Este foi o maior desafio que enfrentamos: recopilar e analisar os produtos criados pelos Clubes de Computação de todas as províncias do país», afirma a engenheira Yilian Sánchez Contreras, primeira especialista geral do Grupo de Desenvolvimento de videogames da instituição.

«Os padrões para incluí-los era que fosem apropriados, de qualidade e atraentes para um público amplo, principalmente para crianças e adolescentes», assevera a especialista.

Para Bladimir Pavón, programador web e líder do projeto, o desenvolvimento do portal também significou um grande desafio para a equipe.

«Desejávamos que a plataforma fosse de fácil navegação, que se pudesse acessar a página a partir de qualquer tipo de dispositivo e que as imagens não resultassem de muito peso, para conseguir a maior fluidez possível. E considero que conseguimos isso», diz o líder do projeto.

«Criar um design atraente também levou muita dedicação», explica Vladimir Lauret, designer das artes plásticas e animador.

«Focamos-nos — acrescenta Lauret — em que a página fosse o mais intuitiva possível, de forma que as mesmas ilustrações mostrassem o conteúdo de cada portal, baseando-nos nas novas tendências. Foi um desafio conseguir um produto o mais profissional possível».

LUDOX, UM ESPAÇO PARA DESENVOLVEDORES CUBANOS E CLIENTES

Embora seja muito precoce para falar de uma indústria de videogames em Cuba, já começaram os primeiros passos e Ludox é prova disso.

Apesar de que todos os Clubes de Computação são instituições independentes e não contam com muito orçamento, com pouco conseguimos criar games divertidos e educativos, com uma mensagem, um objetivo… Por isso, considero que esta plataforma pode ser a base do surgimento dessa indústria em Cuba»,diz o jovem programador do projeto, Marcos Alonso.

«O Ludox também se propõe estimular o setor de desenvolvedores cubanos que, de maneira independente, e com suas próprias ferramentas, criem videogames», acrescenta.

Segundo Danays Moreno Moreno, os Clubes de Computação convocam a partir de agora a todos os organismos, instituições ou pessoas que, de maneira autodidata, participam do desenvolvimento de videogames em Cuba, para enviar seus conteúdos e inseri-los no portal.

«Serão bem-vindos, sempre que cumpram com os princípios e valores de nossa sociedade e com as condições dos Clubes de Computação. Pode ser um jogo simples, mas que entretenha e eduque», diz.

«Isto permitirá o acesso às famílias cubanas e o reconhecimento de que em Cuba se criam videogames interessantes e interativos», assevera Leonel Tamayo, informático e programador do Grupo de Desenvolvimento dos Clubes de Computação.

Para o designer industrial Luis Cantero, esta proposta facilitará a criação de uma comunidade onde instituições, organismos e desenvolvedores de videogames em Cuba partilhem com os clientes novos conteúdos e experiências.

UM PROJEO EM CONSTANTE APERFEIÇOAMENTO

«Ludox superou nossas expectativas e pensamos que será de grande aceitação para as famílias cubanas», valoriza Danays Moreno. Contudo, este é só um ponto de partida. Os clientes que visitem hoje o portal «acessarão à primeira versão das muitas que estejam por chegar», assevera.

Segundo Yilian Sánchez, os Clubes de Computação trabalham em uma versão .apk para dispositivos andróides (celulares). E, aliás, na medida em que sejam incluídas as contribuições de outros desenvolvedores, vamos fortalecer a infraestrutura e potencialidades do site», comenta.

«Neste momento, o Grupo de Desenvolvimento dos Clubes de Computação atualizará o portal semanalmente«, explica Danays Moreno. E acrescenta que para aqueles que tenham dificuldades de acesso ao Ludox, podem visitar o site de qualquer sucursal da instituição.

Ludox já está nas mãos do público. A nova proposta dos Clubes de Computação, pioneiros na produção de videogames em Cuba, é tão simples como sedutora: brincar, divertir-se, aprender.