ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Padrón, Abel

HAVANA.– Autoridades culturais de Cuba e do Chile assinaram, em 7 de Janeiro, nesta capital, um acordo de cooperação no âmbito audiovisual, na presença da presidenta desse país sul-americano, Michelle Bachelet.

O acordo entre o Conselho Nacional da Cultura e as Artes de Chile e o Instituto Cubano da Arte e Indústria Cinematográficas (Icaic) foi assinado pelo próprio presidente desta entidade, Roberto Smith, e o embaixador do Chile em Cuba, Ricardo Herrera.

A galeria Villa Manuela da União dos Escritores e Artistas de Cuba (Uneac) foi o palco da assinatura do acordo, que segundo explicou Smith reflete a aspiração compartilhada pelas cinematecas de ambos os países de recuperar e conservar o patrimônio audiovisual das duas nações.

A nova aliança insiste na detecção de fitas que interessem a ambas as cinematecas trabalhar em parceria para a recuperação da obra. Também, contempla a exibição de fitas cubanas no Chile e vice-versa.

Como parte de sua visita oficial à Ilha, a presidenta conversou, em 7 de janeiro, com artistas e intelectuais. A reunião teve lugar na sala Rubén Martínez Villena da sede da Uneac, onde o compositor Aldo López-Gavilán interpretou ao piano, como presente para a presidenta, uma obra de sua autoria, intitulada De Princesas, Castillos y Puntos Suspensivos.

Ao chegar à Uneac, a chefa de Estado foi recebida pelo presidente dessa organização, Miguel Barnet, o vice-presidente primeiro, Luis Morlote e outros diretivos, informou a PL.

Photo: Padrón, Abel

No encontro participaram o vice-ministro da Cultura, Fernando Rojas; a diretora do Coro Nacional de Cuba, Digna Guerra; os pintores Arístides Hernández (Ares) e Lesbia Vent Dumois; o poeta Alex Pausides, e o compositor e regente de orquestra Guido López Gavilán.

Bachelet chegou a Cuba, no domingo, 7 de janeiro e foi recebida pelo vice-ministro das Relações Exteriores, Rogelio Sierra, para cumprir uma visita oficial de dois dias.

A presidenta chilena esteve na capital cubana em junho de 2016, para participar da assinatura dos Acordos sobre cessar fogo e de hostilidades bilateral e definitivo, e abandono das armas e garantias de segurança entre o governo da Colômbia e a antiga guerrilha FARC-EP, hoje convertida em partido político. Chile fez parte dessas conversações de paz como acompanhante.

Ainda, ela fez uma visita oficial à Ilha em 2009, durante seu primeiro período presidencial. Na ocasião teve um encontro com o Comandante-em-chefe Fidel Castro.

Esta é uma das últimas visitas de Estado da presidenta Michelle Bachelet antes de deixar o cargo no próximo 11 de março.

DUAS NAÇÕES DA NOSSA AMÉRICA IRMANADAS

A Ilha maior das Antilhas e o Chile estão unidas por laços históricos, e assim que foram reatadas as relações diplomáticas no ano 1995, interrompidas em 11 de setembro de 1973, a vinculação política e de cooperação entre ambos os países mostrou um avanço notável.

Nesse sentido se destaca que a nação sul-americana foi o primeiro país receptor da cooperação médica de emergência cubana, após o terremoto e o tsunami de Valdivia, em 1960.

Da mesma forma, Cuba prestou cooperação em outros casos, e as últimas foram por ocasião dos terremotos de 27 de fevereiro de 2010, em Rancagua, e de 24 de abril de 2017, em Valparaíso. Em ambas as ocasiões foi enviada uma brigada do Contingente Henry Reeve, formada por 36 médicos, enfermeiros e técnicos, com um hospital de campanha equipado com 12 toneladas de instrumentos médicos e medicamentos.