ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Durante o percurso pela empresa, Raúl conversou com trabalhadores e diretivos sobre as produções que ali se fazem. Photo: Estudio Revolución

CAMAGUEY.— O general-de-exército Raúl Castro Ruz visitou na quarta-feira, 10 de Janeiro, a Empresa Militar Industrial de Camagüey «Mayor General Ignacio Agramonte», fundada há quase trinta anos pelo Comandante-em-chefe Fidel Castro Ruz.

Em uma conversa com diretivos da empresa camagueyana e da União das Indústrias Militares (UIM), prévio ao percurso pelas instalações, Raúl recebeu informação acerca das produções que lá se fazem para satisfazer as demandas da defesa do país e, fundamentalmente, da economia nacional.

Entre outros temas foi informado acerca dos programas que se empreendem para a fabricação, reparação e modernização de máquinas e ferramentas; a produção e recuperação de peças de reposição; bem como a ampliação de capacidades para produzir recipientes e embalagens, temas de alta prioridade para Cuba.

De maneira particular, interessou-se pelo apoio que a UIM deu à recuperação do país, após a passagem do furacão Irma em setembro passado. Segundo soube, desde então e até à data foram fabricadas mais de 1,5 milhão de metros quadrados de telhas metálicas — com todos seus aditamentos — e 25.400 recipientes plásticos.

Após conhecer do trabalho da Empresa Militar Industrial de Camagüey, que há vários anos cumpre seus indicadores econômicos, financeiros e produtivos, o general-de-exército a qualificou como uma joia que está na capacidade de dar maiores resultados.

Raúl pôde apreciar diretamente o desempenho dessa indústria em uma exposição que mostra as produções principais, entre elas uma linha de móveis para escritórios, lares e locais turísticos, baixela de melamina, ferragem industrial, cadeados e fechaduras, leitos e colchões, portas de madeira, toldos e telhas.

Raúl percorreu mais tarde as oficinas de algumas das usinas da empresa, acompanhado do primeiro vice-presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, Miguel Díaz-Canel Bermúdez; o titular da Economia e Planejamento, Ricardo Cabrisas Ruiz; os generais-de-corpo-de-exército, Leopoldo Cintra Frías e Álvaro López Miera, ministro e primeiro vice-ministro e chefe do Estado Major General das Forças Armadas, respectivamente; o ministro do Interior, vice-almirante Julio César Gandarilla Bermejo; e o primeiro secretário do Partido em Camaguey, Jorge Luis Tapia Fonseca.

Na visita conversou com os trabalhadores da entidade, 32% dos quais são mulheres. Interessou-se pelas condições de trabalho, o número de turnos que fazem, o nível educativo dos operários e os anos que estão trabalhando ali. Igualmente, indagou sobre a necessária e importante relação entre esta empresa e a Universidade do território.

Ao concluir o percurso, o general-de-exército deixou escrita sua impressão desta visita em um pôster gigante que lembra as palavras que escreveu o líder histórico da Revolução, ao deixar inaugurada esta empresa. Naquela época, Fidel expressou: «a impressão que deixa em nós a usina e o coletivo é inesquecível». Agora Raúl escreveu: «Aqui não é preciso acrescentar nada mais, apenas continuar avançando e, naturalmente, concordo com o que Fidel lhes disse. Parabenizo-os!».