O destino Cuba atrai os cruzeiros apesar do acirramento do bloqueio › Cuba › Granma - Organo ufficiale del PCC
ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Cuba recebeu em 2017, cerca de 620 mil visitantes estadunidenses, apesar das regulamentações atuais e advertências da administração do presidente Donald Trump. Photo: Juvenal Balán

WASHINGTON.— A cultura autóctone. A segurança e a beleza natural de Cuba continuam atraindo às indústrias dos cruzeiros, apesar das medidas tomadas pela atual administração estadunidense que acirra a aplicação do bloqueio.

A companhia estadunidense Carnaval Cruise anunciou que em 2019 realizará 17 viagens a Cuba em um período de 5 dias através do navio Carnival Sensation, que partirá da Flórida.

Segundo o comunicado da firma divulgado pela Prensa Latina, as viagens incluem um dia em Havana, bem como estadas em portos populares do Caribe e as Bahamas, incluídos Grand Turca, Grande Caimão, Nassau e os destinos privados de Half Moon Cay e Princes Cays.

Segundo as sondagens realizadas aos visitantes, o destino Cuba se encontra entre os preferidos do Caribe, uma região com altos padrões para esta indústria no mundo.

A presidenta de Carnival Cruise Line, Christine Duffy, referiu que a Ilha maior das Antilhas é um destino anelado e gostam de oferecer aos seus clientes mais oportunidades de experimentar e explorar essa fascinante Ilha.

Todas as viagens de cruzeiros organizadas nos Estados Unidos devem cumprir estritas regulamentações do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos.

A administração republicana que dirige o presidente Donald Trump anunciou em junho passado várias medidas que impedem as viagens entre ambos os países e acirram o cerco econômico contra Cuba que se prolonga há mais de meio século.

As empresas de cruzeiros norte-americanas tiveram que adaptar seus itinerários às categorias de viagens para nosso país aprovadas por Washington, pois a Ilha maior das Antilhas é o único destino proibido aos turistas norte-americanos pela lei.

Igualmente e utilizando pretextos sem nenhum fundamento científico o Departamento de Estado emitiu uma alerta de viagem contra Cuba e a colocou nos níveis 3 e 4 com a recomendação de reconsiderar as viagens.  

As medidas de agressão contrastam com o reconhecimento internacional pela segurança de Cuba como destino turístico e o nível de satisfação e tranquilidade que mostraram mais de 4 milhões visitantes em 2017.

Apesar das novas regulamentações de Washington Cuba recebeu em 2017, cerca de 620 mil estadunidenses, ultrapassando e duplicando o dado anterior.

O interesse não parece diminuir. A informação divulgada por Carnival Cruise Line aparece pouco dias após darem a conhecer as companhias Rgent Seven Cruise e Norwegian Cruise Line, um incremento das viagens à Ilha Caribenha.

Apesar das limitações que implica o bloqueio imposto pelos Estados Unidos para avançar nas relações bilaterais e especialmente a atividade marítimo-portuária e as novas medidas anunciadas pela administração do presidente Donald Trump, autoridades cubanas asseveraram que o país prevê implementar um amplo programa de desenvolvimento da infraestrutura portuária destinada à potenciação do turismo de cruzeiros nos diferentes portos do território, levando em conta que cada ano a chegada de visitantes através dessa modalidade se multiplicar.