ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
O presidente cubano considerou que o incentivo à produção local é uma das formas fundamentais de resolver os problemas habitacionais pouco a pouco. Photo: Estudio Revolución

O presidente dos Conselhos de Estado e Ministros, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, examinou o programa habitacional, que descreveu como um dos mais importantes, devido ao alto impacto que tem sobre a população.

No encontro ofereceram-se informações detalhadas sobre a produção local de materiais da construção, considerada o apoio fundamental, pois traz a solução construtiva para os territórios, permite a participação coletiva e fortalece o papel dos municípios na solução de seus próprios problemas habitacionais.

Conforme relatado, nos últimos cinco anos, a produção local vem crescendo anualmente entre oito e 11% e foram instaladas capacidades produtivas — as chamadas de mini-indústrias — nos 168 municípios do país.

Atualmente, trabalha-se na extensão deste programa, com o envolvimento de novas modalidades de produção, em pouco mais de 230 conselhos populares (estruturas de governo nos bairros).  

O diretor de produção local de materiais da construção, do ministério da Construção, Tomás Vázquez Enrique, afirma que 80% do que é produzido dessa forma é destinado à população, enquanto os 20% restantes são direcionados para obras sociais dos municípios.

No final de 2017, cerca de 316 mil metros cúbicos de agregados, 13 milhões de tijolos, 40 milhões de blocos de concreto, 1.200 metros quadrados de mosaicos e telhas e 37.000 tanques de concreto, entre outros, haviam sido fabricados nas mini-indústrias.

O presidente cubano considerou que o incentivo à produção local é uma das formas fundamentais de resolver os problemas habitacionais pouco a pouco. Photo: Estudio Revolución

Até agora, neste ano, os níveis de produção local permaneceram estáveis, embora tenha sido enfatizada a necessidade de garantir que a qualidade desses produtos, que são comprovadamente resistentes, tenha aumentado, pois algumas vezes eles apresentam problemas estéticos.

Sobre o assunto insistiu-se que é necessário ser mais exigente com o programa e nos locais onde a qualidade não possa ser certificada devem ser tomadas as medidas pertinentes, pois implica um desrespeito à população.

O encontro também atualizou a fabricação de equipamentos para as mini-indústrias, incluindo moinhos, moldes, bloqueadores, prensas e betoneiras, que são realizadas em diversas entidades do país, um esforço que deve continuar se multiplicando para que aumente ainda mais a produção local. Fez-se um apelo para aproveitar esse esforço, além de todos os tipos de materiais e equipamentos recicláveis ​​que podem ser reutilizados.

A este respeito, o presidente cubano considerou que o incentivo da produção local é uma das formas fundamentais para resolver gradualmente os problemas de habitação que se acumularam, por isso é essencial verificar o assunto toda vez que sejam visitados os territórios.

O presidente comentou que ainda existem potenciais a serem explorados no programa habitacional e é fundamental contar com a pesquisa que é realizada em instituições e universidades do país.

«Temos que trabalhar com várias alternativas, com diferentes tipos de habitação, porque o que pode funcionar em um território não necessariamente funciona bem em outro», disse. Isso pode ser viável, disse ele, a partir da construção de polígonos experimentais para a construção de habitações em pequena escala, onde sejam introduzidos novos materiais e formas estéticas.

Nos dias anteriores, Díaz-Canel havia realizado outras reuniões similares para examinar o progresso de vários programas, também fundamentais, como transporte, hidráulico, digitalização da televisão, o plano do Estado para enfrentar a mudança climática e a preservação da memória histórica, como parte de um sistema de trabalho, no qual esses tipos de problemas serão verificados periodicamente.