ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

O Capitólio, inaugurado em 20 de maio de 1929 se converteu em um dos prédios mais emblemáticos de Havana e de Cuba. Esta construção não pode receber só um autor devido a que participaram vários especialistas (entre engenheiros e arquitetos) fundamentalmente cubanos, ainda que também estrangeiros.

Alguns opinam que foi inspirado no Capitólio dos Estados Unidos, contudo, não é completamente correto. Igual que o Capitólio da Argentina, estes três prédios foram baseados no Monte Capitolino ou Rocha Tarpeia da Roma antiga, onde se encontrava a cidadela e o templo consagrado a Júpiter, lugar de coroação dos heróis.

Quando se decidiu buscar um nome para a obra que seria construída, consultou-se o povo para que desse a opinião. Alguns eram do critério de nomeá-lo Palácio do Congresso e outros simplesmente Capitólio, nome que afinal foi escolhido.

Uma publicação da época, Excelsior, explicou o porquê Capitólio.

«(…) o rei Turquino Prisco, desejando erigir um templo a Júpiter, ordenou aos melhores artistas etruscos que colocaram os alicerces do que seria centro da grandeza romana. (…) Dois dias depois do trabalho e a bastante profundidade encontraram a cabeça de um homem em perfeito estado de conservação, com a palavra TULUS gravada na testa. Submetido o caso aos adivinhos do Oráculo, disseram que tal acontecimento prometia a Roma o domínio do mundo e é lugar de topo entre as cidades da Terra».

Devido a isto deram o nome de Caput Toli, que depois mudou a Capitolium.

Para sua edificação foram usados cinco milhões de tijolos, 40 mil metros cúbicos de areia, 40 mil de pedra, 150 mil toneladas de aço. Foi construído por 8 mil operários, organizados em turnos de oito horas que tornaram possível a terminação do prédio em três anos e 50 dias.

SUA CONSTRUÇÃO

Foi projetado para que o antigo Senado e a Câmara dos Representantes tiveram sessões. Sua construção começou em abril de 1926 e sua data final se pensou para 1928 devido a que a Conferência Pan-americana se realizaria naquele ano. Contudo, quando se iniciou a obra, os especialistas perceberam que não poderiam terminar para essa data, mas que se devia concluir um ano depois.

Ao ser inaugurado, começou a funcionar o Congresso cubano daquela época. Contudo, esteve cheio de lamentáveis fatos, como o metralhamento das pessoas que participaram da greve de 1933; mas ao mesmo tempo, foi o espaço onde se proclamou a Constituição de 1940, um dos textos mais avançados entre os promulgados até então na América.

Entre sua construção e mobília custou 16.640.743,30 pesos. Quando começou a construção do prédio não existiam as condições ou as ferramentas para cumprir com o trabalho, devido a isto, as máquinas e forças produtivas foram importadas.

«Uma oração para os que deram sua vida. Uma lembrança para todos os que puseram nestas pedras braços, ciência e espírito», diz em uma parte da tarja que lembra e presta homenagem aos operários mortos durante a construção do Capitólio.

RESTAURAÇÃO ATUAL

Em novembro de 2012, a Gabinete do Historiador da Cidade recebeu do Ministério da Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, um pedido para começar um longo e complexo processo de restauração. A cargo de sua renovação estão a diretora de arquitetura e urbanismo do Centro Histórico de Havana, Kenia Días, e a diretora de investimentos do Gabinete do Historiador da Cidade Johana Aldo.

Este prédio tem 49 mil metros quadrados em seu total, 25 mil metros quadrados de jardins, 11 ascensores, 28 pátios, seis lampiões, inumeráveis escritórios e salões, entre outras características.

Desde o começo do projeto se concentraram na coberta devido a que as filtrações causaram graves danos na estrutura; bem como no acondicionamento necessário para começar os trabalhos no interior do lugar.

O plano inclui cada sala individualmente e para isso se separaram virtualmente por blocos. Iniciou-se pela ala norte e principalmente na reparação capital do granito, já que apenas na área exterior tem 15 mil metros quadrados deste material. Igualmente se devia reparar a carpintaria, as varandas de bronze e a fachada dessa zona.

Alguns dos planos originais do Capitólio ainda existiam e foram restaurados para sua conservação, depois se digitalizaram para uma melhor utilização.

Um dos elementos que se implementou, já que antigamente não existiam, foi o sistema contra-incêndios, o de segurança e a climatização de algumas zonas. Com relação a isto a chefa do departamento de investimentos Prado, engenheira Mariela Mulet, comenta:

«Foi muito complicado instalar estes sistemas tecnológicos, já que anteriormente não existiam no prédio. Por exemplo, com o ar condicionado central tivemos que, para poder levá-los a muitos dos grandes escritórios e salões sem que se percebesse, realizamos uma espécie de canais ou condutos nos assoalhos, impermeabiliza-los por onde viajassem os canos e depois mascarar esses equipamentos de clima com mobílias muito similares às existentes em cada local».

Contudo, alguns espaços não puderam ser climatizados devido a que se prejudicaria a edificação e se tomou a decisão de deixá-los como estavam.

Neste momento se concentram os esforços na cúpula e na ala sul do Capitólio. No caso da cúpula teve que ser mudada toda a drenagem pluvial que estava completamente prejudicada.

«Tanto para essa área, como para o resto da instalação fizemos um diagnóstico com uns equipamentos que tivemos que comprar, para poder ver o estado em que se encontrava. Restauramos pontualmente todos os canos com resina epóxica, para depois reutilizar esses sistemas», continuou.

Também, devido à imensidade do projeto, algumas empresas de Havana apoiaram a restauração: o ministério da Construção, a Escola-Oficina de Havana, cooperativas como Sancof (serviços de andaimes e cofres) e Serconst (serviços da construção), artistas do Ministério da Cultura, entre outros; ainda que o Gabinete do Historiador da Cidade seja o principal investidor.

Contudo, ao longo do projeto existiram complicações, «Para poder restaurar os telhados primeiramente tivemos que diagnosticar o estado em que está a lousa de cimento armado na sobreloja. Que acontece. No quarto andar há muitos pátios, e o dano que tinham fazia com que filtrasse a água, provocando que no terceiro e segundo nível fosse necessário demolir algumas lousas de sobreloja ou restaurar lousas de cimento armado que estavam em péssimo estado, antes de restaurar o encaixado», assim o explica Mulet.

O Capitólio conta com 60 tipos de mármores, entre cubanos e italianos e, por fortuna, pôde-se acessar à mesma canteira e aos mesmos fabricantes italianos que oram usados na construção original.

Deu trabalho também recuperar as enormes lâmpadas, devido a que com a passagem dos anos, algumas simplesmente sumiram e outras estavam distribuídas em peças em algumas zonas do Capitólio. O Gabinete do Historiador contatou com uma equipe de mexicanos que trabalhavam o ônix para que reproduzissem com exatidão as partes que faltavam das lâmpadas.

Outro elemento a destacar na restauração foi a culminação da Cripta ao Mambí desconhecido, devido a que foi um gabinete que nunca se terminou, quando foi construído o prédio.

«Em relação às esculturas, que excetuando o Anjo Caído são obras de Angelo Zanelli, foram contratados artistas italianos para que as restaurassem. Por fortuna, não estavam tão prejudicadas e o foi feito todo um processo de limpeza. Com a escultura A República, a terceira mais alta do mundo indoor, tenta-se devolver ao capa de ouro que tinha originalmente e para isso se trabalha em um projeto com a Rússia para devolver o dourado à estátua e à cúpula», assegurou.

Os esboços originais usados pelo artista estão expostos em uma das salas do Capitólio, aberta ao público no andar principal. Também o povo pode admirar parte do salão dos Passos Perdidos e a ala esquerda que já está terminada e que nela já funcionam, há dois anos, os escritórios da Assembleia Nacional.

As renovações das fachadas estão sendo executadas por Puerto Carenas, pertencente ao Gabinete do Historiador e empresa construtora principal, contudo, os materiais utilizados, tecnologias e a assessoria técnica pertencem a uma companhia alemã.

Ainda falta muito por fazer, mas não há dúvidas de que as obras executadas são de muita importância devido ao alto valor patrimonial do prédio. O Capitólio é e será um símbolo de Cuba.