ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Na Empresa de Recuperação de Matérias Primas são realizados vários experimentos de valor para a fabricação de moradias e outros programas importantes no país. Photo: Estudio Revolución

SANTA CLARA.— A importância das discussões que ocorrem em todo o país sobre o projeto de Constituição aprovado pela Assembleia Nacional do Poder Popular e que será submetido a um referendo no próximo ano, foi destacada aqui, em 29 de agosto, pelo presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, quem lidera a visita governamental que durante dois dias verificará o andamento de importantes programas econômicos e sociais na província Villa Clara.

«Esses debates populares serão os que vão dizer como vai ser formulada a nova Constituição», disse o presidente cubano em um intercâmbio com os trabalhadores da Companhia de Dormentes de Concreto e Fixação Elástica de Villa Clara e da Escola Municipal Ernesto Che Guevara, onde teve lugar um frutuoso intercâmbio em torno do texto constitucional.

Refletindo sobre isso, Díaz-Canel disse que foi muito útil participar desse tipo de atividade, dada a substancial contribuição feita a essa discussão por trabalhadores e setores muito humildes da população.

Também observou que as experiências destes dias rompem as matrizes de opinião que vêm tecendo os inimigos da Revolução Cubana, os que se adiantaram ao dizer que os debates careciam de interesse e apoio popular, algo negado pelo fato de que todos os tablóides impressos esgotaram-se em poucos dias, além de ser uma questão recorrente nas famílias e nas comunidades, o que é um exemplo de democracia.

«Os inimigos também dizem que a Constituição já está aprovada, o que é uma falácia porque todas e cada uma das opiniões estão sendo coletadas e processadas por pessoas muito competentes», disse o líder, reafirmando que o verdadeiro constituinte aqui é o povo de Cuba.

Durante o intercâmbio houve várias opiniões em apoio ao projeto constitucional e outras divergentes, que expressaram dúvidas e critérios diferentes sobre a idade do presidente, a proteção dos trabalhadores empregados pelos trabalhadores autônomos, ou a maneira de eleger os governadores provinciais, entre outras questões.

Um exemplo da natureza desse processo foi o momento em que Ariel Escudero, trabalhador da fábrica de Dormentes, após intervir diante do plenário acerca da faculdade do presidente para propor o governador da província, pediu a palavra para retirar a ideia, a partir dos argumentos sólidos apresentados pelo presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, perante o qual o presidente cubano expressou, «não vamos retirar sua preocupação é importante e deve ser recolhida», o que suscitou o aplauso dos presentes.

Vários dos participantes, incluindo o professor Daniel Bulgado, mostraram sua gratidão por ter Miguel Díaz-Canel em seus centros, sobre os quais disseram que este era o único país do mundo onde as coisas podiam ser vistas como um presidente participando de maneira franca e aberta em um debate dessa natureza.

ANÁLISE PROFUNDA DOS PROGRAMAS ESTRATÉGICOS PARA A VILLA CLARA E O PAÍS

O andamento de importantes programas e investimentos que acontecem em Villa Clara ligados à produção de alimentos e materiais de construção, bem como à saúde e o lazer das pessoas, foram aqui valorizados por Díaz-Canel.

Nas primeiras horas da manhã, a delegação chefiada pelo presidente cubano, e onde também estiveram presentes Julio Lima Corzo e Alberto López Díaz, respectivamente, primeiro secretário do Comitê Provincial do Partido e presidente do Governo no território, respectivamente, visitaram a empresa de Lacticínios, entidade que apresenta uma obsolescência tecnológica profunda que afeta o fluxo de produção.

Lá, o presidente recebeu uma ampla explicação de Alexandre Vázquez Abrahantes, diretor da entidade, que reconheceu que os problemas técnicos limitam a entrega de uma quantidade maior de produtos de qualidade à população, entre eles diversos tipos de leite, iogurte, sorvete e queijo.

A este respeito, o líder disse que o observado lá foi, entre outras razões, devido à negligência do Ministério da Indústria Alimentar para essa usina, algo que deve ser revertido no menor tempo possível, porque Villa Clara é uma província transcendental na produção leiteira no país.

Sobre o assunto, executivos do setor explicaram que há um processo de investimento na fase de execução, que já beneficia Sagua la Grande e Placetas, que em breve também chegará a Santa Clara, onde a maior deterioração é acumulada.

Em diálogo com os trabalhadores, o presidente cubano estava interessado no conhecimento do processo de investimento, na questão dos salários e formas de recuperar a usina, chegando ao consenso sobre a necessidade de igualar a crescente produção de leite na província e o fato de ter uma indústria de laticínios eficiente.

Em outro momento do percurso, o presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros visitou a Empresa de Recuperação de Matérias Primas, onde se vêm realizando vários experimentos valiosos para a fabricação de moradias e outros programas importantes no país.

Entre as novidades que pôde conhecer o presidente estava a produção de blocos, platôs, ripas de persianas e vigas a partir de vidro moído, cimento e papel, que além de sua funcionalidade e qualidade, economizam recursos, para os quais o presidente convocou a divulgar e generalizar essa experiência.

Orlando Darío Morffi Hernández, diretor dessa indústria, mostrou aos visitantes essas e outras produções, como os blocos de plástico, e outras maneiras em que são utilizadas as matérias-primas de várias entidades do território.

Díaz-Canel Bermúdez qualificou de muito úteis o conjunto de conexões plásticas feitas pelas indústrias locais do território, necessárias nos programas de economia de água e energia.

O líder cubano também percorreu a policlínica Chiqui Gómez, em Santa Clara, e a Usina Mecânica, onde é realizado um processo de atualização dos equipamentos principais, incluindo os que pertencem às oficinas de fundição e tratamento térmico, de acordo com a explicação dada por Idael Hidalgo Cruz, diretor geral da indústria.

A reconversão tecnológica inclui, também, a colocação de novos fornos que funcionam a partir do arco elétrico, que economizam energia e reduzem o tempo de fundição, além de examinar as oficinas de confecção, soldadura, usinagem e forjamento, entre outros objetos de trabalho.

Da mesma forma, o presidente foi informado de vários projetos para facilitar a produção local de materiais de construção, todos ligados à solução do problema habitacional do país. No fechamento desta informação, os visitantes visitaram o complexo de lazer Somos Jóvenes e tinham previsto participar de outra consulta popular sobre o Projeto de Constituição.