ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

O vice-ministro das Relações Exteriores de Cuba, Rogelio Sierra Diaz, presidiu a delegação cubana que participou do 49º Foro das Ilhas do Pacífico, realizada na República de Nauru, ilha do Pacífico Sul, de 3 a 6 de setembro, informou a Chancelaria cubana.
A reunião foi o principal evento da região do Pacífico, que reúne 14 pequenos Estados insulares, bem como observadores e parceiros de diálogo, condição que mantém Cuba desde 2013.
Esta reunião anual teve como objetivo fundamental concertar posições entre os membros do Pacífico, em questões tão importantes como ações econômicas e a cooperação, bem como ações para mitigar os efeitos da mudança climática e prevenir e mitigar os desastres naturais.
Em tal evento a delegação cubana teve a oportunidade de trocar experiências sobre os desafios comuns partilhados com estas nações, por sua condição de pequeno Estado insular e teve encontros bilaterais com os líderes dos Estados da região.

A esse respeito, Alberto Blanco Silva, diretor da Ásia e Oceania da Chancelaria cubana, afirmou que a distância geográfica e as diferenças culturais e idiomáticas não impediram o avanço da cooperação entre Cuba e as ilhas do Pacífico, tornando-se um exemplo de cooperação Sul-Sul.
«Atualmente, temos relações diplomáticas com os 14 pequenos Estados insulares do Pacífico Sul e, em maio de 2017, aconteceu a abertura de nossa missão diplomática em Suva, Fiji; com anuência em 11 ilhas do Pacífico, o que marca o compromisso renovado de Cuba com o Pacífico Sul», lembrou Silva.
Blanco Silva também ressaltou que nos últimos quatro anos fomos honrados com visitas dos chefes de Estado e de Governo das Ilhas do Pacífico e no primeiro semestre deste ano recebemos os ministros da Saúde de Palau e Nauru, encontros que nos permitiram identificar novas possibilidades de cooperação.

«Temos brigadas médicas em Kiribati e Vanuatu, além de enviar uma brigada médica para Nauru, em resposta ao pedido feito pelo governo», comentou.
O funcionário cubano também expressou sua satisfação com que 101 jovens das ilhas do Pacífico sejam formados, atualmente, em universidades da nação caribenha, 153 já se formaram nos últimos anos, dos quais 151 foram da carreira de Medicina.
Todos os pequenos Estados insulares do Pacífico Sul nas Nações Unidas votaram a favor do fim do injusto bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto a Cuba desde 1960.
COINCIDÊNCIAS E DESAFIOS COMUNS
Cuba e as lhas do Pacífico têm muitos aspectos em comum, pois são pequenos Estados insulares enfrentados aos desafios impostos, tanto pela mudança climática, quanto o mundo desigual onde devemos nos desenvolver. Esta situação é agravada porque os Estados Unidos enfatizam o protecionismo e a renúncia à cooperação e ao entendimento.

«Nossa ilha falou mais de uma vez em defesa dos direitos dos países em desenvolvimento e, especialmente, dos pequenos Estados insulares, que correm o risco de serem engolidos pelo mar devido à mudança climática», ressaltou o diretor da Ásia e Oceania do Ministério das Relações Exteriores de Cuba. «É alarmante constatar que alguns pequenos Estados insulares do Pacífico Sul enfrentam o perigo real de desaparecer por causa disso».
Destacou a validade do pensamento do Comandante-em-chefe Fidel Castro Ruz, que sempre foi uma referência. «Fidel Castro, previssor, ciente dos efeitos da atividade humana no nosso mundo e preocupado com os efeitos negativos da mesma, previu que 'o mundo vive entre duas tragédias, a guerra e o meio ambiente'», acrescentou.
Asseverou que Cuba defende o respeito pelas responsabilidades comuns, mas diferenciadas, ou seja, levando em conta as circunstâncias de cada povo e que o Governo da Ilha encoraja o desejo de continuar articulando as vias de cooperação triangular com a Nova Zelândia, Austrália e outros possíveis atores internacionais interessados, em benefício das Ilhas do Pacífico Sul, que «poderão contar com a entranhável amizade, apreciação e total apoio de seus irmãos cubanos». (Redação Internacional)

NÃO POR SER PEQUENO...

2002 Cuba estabelece relações diplomáticas com: Nauru, Tonga, Ilhas Fiji, Kiribati, Ilhas Salomão e Ilhas Cook.

2006 Estabelece relações com Tuvalu.

2007 Estabelece relações com Samoa.

2014 Vínculos estabelecidos com o Niue.

2015 Relações estabelecidas com Palau, Ilhas Marshall e Micronésia.

2017 A Ilha maior das Antilhas inaugura uma nova embaixada localizada na República do Fiji e concorrente em outras 11 ilhas do Pacífico.

Recebe-se a visita dos chanceleres da Austrália e da Nova Zelândia, propícias para explorar oportunidades de cooperação.

2018 Os ministros da Saúde de Palau e Nauru visitam Cuba, oportunidade que serviu para rever as potencialidades de cooperação mutuamente benéficas.

FONTE: Cubaminrex