ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
A tenacidade e a vontade de uma recuperação ágil sinalizavam as ações dos moradores de Cienfuegos. Photo: Julio Martínez Molina

ADALBERTO Ramírez, sua esposa, sua filha e o neto moram em um dos 68 prédios multifamiliares afetados em Cienfuegos pelo furacão Irma, que em 8 de setembro de 2017 castigou severamente Cuba por mais de 72 horas, com ventos que, às vezes, ultrapassava 250 quilômetros por hora.

O telhado do edifício Adalberto tinha vários vazamentos, havia paredes descascadas e tudo ficou descolorido e feio.

«O prédio foi impermeabilizado e ninguém mais se molha. Também foi pintado e parece novo. Mas se é bom ressaltar essa ação, empreendida rapidamente, é também destacar o trabalho antes, durante e após a passagem do referido fenômeno natural», explicou.

«Todos a um, como em Fuenteovejuna, o conto do escritor espanhol Lope de Vega que nos ensinaram na escola. Por isso, nos mobilizamos para recolher os resíduos sólidos, detritos, árvores caídas...», disse Yandri Sarmientos, que então estava no Serviço Militar e fez parte do apoio decisivo das Forças Armadas Revolucionárias na recuperação de um território atingido duramente por Irma.

«O apelo ao nosso povo combativo, feito pelo general-de-exército Raúl Castro Ruz, funcionou como um incentivo moral de intensidade muito forte para os moradores de Cienfuegos. Como ele assinalou, houve dias de trabalho árduo, onde a força dos cubanos e sua confiança na Revolução foram novamente demonstradas», disse Mayrelis Pernía Cordero, vice-presidenta do Conselho Provincial de Defesa.

Reynaldo Gómez Hermida, chefe do Grupo de Trabalho Temporário, disse que na província havia «um total de 2.445 casas afetadas (destas, 68 edifícios multifamiliares), 1.737 colapsos parciais de telhados, 192 colapsos totais no telhado e 240 derrubamentos totais de casas».

«No final de agosto — continua o vice-presidente do Conselho da Administração Provincial — a solução dessas afetações é de 96%».

«Embora o número seja marcadamente mais baixo, em comparação com os danos gerais do meteoro, ainda restam 66 casas destruídas totalmente a serem reconstruídas, e o compromisso é terminá-las nos últimos quatro meses deste ano, para chegar a dezembro com zero casos», ressalta o dirigente. «O problema fundamental é a carpintaria; mas soluções locais estão sendo procuradas», diz.

NÃO POR ARTE DA MAGIA

Somente em um sistema político-governamental que faz do serviço ao povo, sua principal premissa pode ser alcançado tanto, em tão pouco tempo. O Partido e o governo do território supervisionaram e dirigiram a tarefa ao longo de um ano de trabalho árduo.

Inúmeras foram as reuniões e visitas realizadas, bem como a vontade de garantir todos os recursos para os prejudicados. O resultado final foi muito favorável e depende tanto desta como de outras causas, onde a vontade de todos sempre prevaleceu.

A produção local de materiais de construção contribuiu para o impulso das obras de recuperação. Photo: Julio Martínez Molina

Nesse sentido, destacou-se a intensificação do trabalho na produção local de materiais de construção, de acordo com o que foi orientado pelo general-de-corpo-de-exército Joaquín Quintas Solá, chefe da Região Estratégica do Centro, durante suas múltiplas visitas de fiscalização ao território.

Ao impulso destes trabalhos contribui muito o sucesso desse programa de produção de materiais, graças ao qual são entregues cada dia mais 70 metros quadrados de elementos de paredes, pisos e telhados.

«Trabalhar aqui é difícil, mas faz muito sentido saber que, com o que você faz, as pessoas podem construir sua casa em poucos meses», diz Alipio Almaguer, operário de um desses centros.

Moradores de Cienfuegos, como a família de Sandy Quintana e Rosa María Cedeño, e muitos outros, adquiriram materiais de construção no valor de 15 milhões de pesos. Deste modo, beneficiaram-se 2.415 vítimas, que aproveitaram empréstimos bancários de cerca de 2,5 milhões de pesos.

Por outro lado, a Companhia Mista Cementos Cienfuegos SA contribuiu para o trabalho de recuperação do furacão Irma, na província e no país, garantindo o abastecimento a quase 70% do mercado nacional e possibilitando através de suas produções compensar os danos.

Oscar Rodríguez Ayala, vice-diretor geral da fábrica, ressaltou que suas produções apoiavam a recuperação em Cuba, devido à responsabilidade do enclave de fornecer cimento ao território central, incluindo o desenvolvimento do enclave turístico do arquipélago do norte e a zona leste do país, enviando silos com cimento a granel transportados por trens.

As experiências do Conselho Provincial de Defesa (CDP), de suas estruturas análogas em nível municipal, e de todas as entidades estatais na prevenção e confronto antes, durante e depois do ciclone, foram expostas em Cienfuegos após a passagem do Irma, com o objetivo de obter maior sabedoria diante do tratamento de eventos desse tipo no futuro.

Foi uma avaliação final abrangente, como parte de uma estratégia de aprendizagem através da qual foram extraídas experiências positivas e negativas que deixaram lições, como constatou ao Granma Internacional a primeira secretária do Partido nessa província e membro do Comitê Central do Partido, Lidia Esther Brunet Nodarse.

CONTRA O CICLONE, AGILIDADE

- Com a chegada de Irma, cerca de 23 mil pessoas foram protegidas em Cienfuegos e 3.500 estudantes e 378 turistas foram enviados de volta para suas casas, em 406 meios de transporte, todos a um ritmo rápido.

- Para cumprir o apelo de Raúl ao povo de Cuba, foram criadas 18 brigadas mistas em todos os municípios, com cerca de 260 trabalhadores.

- As tarefas de coleta de lixo e saneamento geral nos conselhos populares dos oito municípios da província foram intensas.

- Após a passagem do furacão, as unidades gastronômicas começaram a vender refeições preparadas nos próprios centros a preços acessíveis, para ajudar a população que perdeu seus alimentos, devido à falta de refrigeração.

- Os especialistas da Etecsa restauraram progressivamente os mais de 4 mil serviços básicos de telefonia afetados.

- Concluídos os trabalhos de recuperação, foram articulados os grupos de trabalho temporários, para organizar e dirigir as ações de reconstrução e reabilitação das afetações.

- A direção da província orientou a intensificação de programas de culturas de ciclo curto, para dar uma resposta ágil às demandas alimentares da população.