ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

A realização de eventos como a Olimpíada Mundial de Xadrez, em 1966, sete anos depois o sucesso do Campeonato Mundial de Levantamento de Pesos e o de Boxe, em 1974, todos em Havana, colocaram Cuba no mapa das nações com as quais o Comitê Olímpico Internacional poderia contar para organizar compromissos de alto nível.

Depois, vieram os Jogos da América Central e do Caribe, em 1982, precedendo os Jogos Pan-Americanos de 1991. O segundo foi um verdadeiro exemplo da ética da Revolução, pois Cuba manteve sua sede em meio aos anos difíceis do período especial. Em cada uma dessas disputas, e muito mais que aconteceu com elas, o selo de Fidel colocou um selo de bravura, firmeza e comprometimento.

No amplo espectro de competições esportivas, surgiram compromissos de magnitude variada, de modo que não era apenas uma questão de lutar em casa, mas também decidir lugares em terras estranhas, contra rivais que frequentemente tinham os equipamentos mais avançados.

Entre esses compromissos além fronteiras, agosto de 1975 colocou os jogadores de vôlei da ilha em uma situação sui generis: as duas equipes feminina e masculina tiveram que viajar para a cidade de Los Angeles, Califórnia, para lutar no Campeonato Norte-Americano e do Caribe (Norceca). A delegação tinha um compromisso inescapável e devia desempenhar um papel decente, já que foi a primeira delegação esportiva cubana a entrar no território dos Estados Unidos após os Jogos Pan-Americanos de 1959, em Chicago.

FIDEL ANTES E DEPOIS DO EVENTO

Enquanto as duas equipes da quadra delineavam seu treinamento, poucos dias antes do jogo, o próprio Fidel falava com os meninos (mulheres e homens) e enfatizava algo essencial, um aspecto mais importante do que as possíveis medalhas em disputa.

«Vocês concorram expressando o maior respeito às outras equipes e ao povo norte-americano que participará da competição. Manter em todos os momentos a ética aprendida com a Revolução», foi a exortação do máximo líder, que também afirmou que nossas equipes viajariam bem preparadas física, psíquica e materialmente.

A Universidade Estadual em Irvine, Califórnia, foi o local onde todas as equipes participantes foram alojadas, cujas noites foram animadas com reuniões de atletas em seu ambiente das áreas de relva, onde, além de credos e cores de pele, a irmandade rompeu aquilo ao qual é impossível bloquear.

Uma a uma, vieram as vitórias das duas equipes antilhanas, em uma quadra cujas bordas eram muito próximas, quase à mão dos fãs, muitos deles cubanos residentes nos Estados Unidos, insistindo em enviar mensagens e cartas aos parentes aqui na Ilha. Lembremos que naquela época ainda não havia as chamadas visitas da comunidade.

Na volta triunfante, com as medalhas de ouro de mulheres e homens, Fidel e Raúl foram ao seu encontro no aeroporto internacional José Martí, onde em um de seus salões, cercado de atletas, o então primeiro-ministro falou por muito tempo.

Estando perto do Comandante-em-chefe, verifiquei em seus diálogos como quase a cada uma das jogadoras de vôlei fez precisões sobre o desenvolvimento dos jogos e a competição em geral. Ele falou sobre critérios técnicos de gestão, deixando para a análise por parte delas algumas sugestões que poderiam contribuir para o crescimento das equipes.

Fidel não estava errado, aquelas jovens mulheres que começaram há muito tempo perdendo todos os seus desafios para as japonesas, conhecidas nos anos 60 do século passado como as Garotas Mágicas do Oriente, a partir daquele torneio Norceca em Los Angeles, 1975, iniciaram uma carreira meteórica rumo aos primeiros patamares do vôlei mundial. Três anos depois, eles conquistaram o ouro no Campeonato Mundial da ex-União Soviética.

O selo de Fidel sempre os acompanhou. Conhecida foi sua admiração especial por Mireya Luis, que depois de fazer sua estreia no elenco, durante os Jogos Pan-Americanos de 1983 em Caracas, permaneceu por mais de 15 anos como capitã do time.

Passados dois anos do desaparecimento físico do Comandante-em-chefe Fidel Castro, evocá-lo a partir do seu amor pelo esporte é mantê-lo vivente entre nós.