ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Nestes 18 anos do Acordo bilateral 220 mil colaboradores cubanos deram sua contribuição na Venezuela. Na fotografia, pessoal da Ilha maior das Antilhas respalda o Plano Nacional de Vacinação nessa nação sul-americana. Foto: Enrique Milanés León

VINTE e quatro anos se passaram desde aquela madrugada de dezembro, quando Fidel e Chávez foram protagonistas, em Havana, daquilo que hoje é conhecido como «o abraço», aquele abraço que seria o ponto de partida de uma amizade também inspirada nos pensamentos de José Martí e Simón Bolívar.

Isso ficou demonstrado na sexta-feira, 14 de dezembro, durante o encerramento da 19ª Reunião da Comissão Intergovernamental entre Cuba e a Venezuela, onde o Plano Anual de Cooperação 2019, composto por 22 projetos abrangendo nove setores, foi aprovado por ambas as partes.

Ricardo Cabrisas, vice-presidente do Conselho de Ministros de Cuba, reiterou a solidariedade total e incondicional do povo e do governo da Ilha com a Revolução Bolivariana, e denunciou as medidas unilaterais e de coerção que impedem a gestão da administração de Nicolás Maduro, a quem desejou sucessos em seu próximo mandato presidencial.

Cabrisas explicou que a reunião da sexta-feira foi precedida de um extenso trabalho preparatório para conformar o plano de cooperação assinado nessse dia em Havana.

Cabrisas explicou que, do total de projetos, 90% do financiamento será destinado ao fortalecimento dos serviços de saúde e à produção de medicamentos; embora também seja dada atenção aos outros setores incluídos no Plano. Argumentou que, para a conformação deste plano, a ideia da qual se partiu foi a de orientar os projetos rumo a objetivos de alta prioridade e com capacidade real das partes para executá-los de forma eficiente.

Ao referir-se aos resultados do ano passado, o vice-presidente do Conselho de Ministros afirmou que o cumprimento satisfatório dos projetos acordados foi alcançado, com especial impacto no campo da saúde; tudo isso apesar da guerra econômica travada pelo imperialismo dos EUA sobre a Venezuela e o reforço do bloqueio econômico, financeiro e comercial imposto pelo mesmo império a Cuba.

Isso demonstra «a capacidade e a sustentabilidade do Acordo, diante das situações adversas impostas pelas condições supracitadas», argumentou.

O vice-presidente cubano disse que em 2019 vai se continuar trabalhando para fortalecer as relações bilaterais, partindo de iniciativas que foram identificadas como um todo e vai continuar o caminho que Fidel e Chávez planejaram para alcançar o bem-estar dos povos da Nossa América.

Ao falar, a vice-presidente executiva da Venezuela, Delcy Rodríguez, disse que seu país será eternamente grato pela cooperação cubana e revelou que nestes 18 anos do acordo estiveram 220 mil colaboradores em seu país, «que se afastaram da família, para dar amor a meu povo».

Durante a sessão foram assinados vários documentos. Foto: José Manuel Correa

Nesse sentido, enfatizou que enquanto o neofascismo que se instala no Brasil decidiu truncar a saúde de milhões de pessoas, na Venezuela eles dizem «obrigados, queridos colaboradores, por exaltar a dignidade da América Latina e do Caribe».

Para a vice-presidenta da nação sul-americana, o que foi assinado nesta sexta-feira, 14, é o conteúdo do trabalho comprometido de dois povos que se uniram no legado de José Martí e Simón Bolívar para serem livres.

O PLANO DE COOPERAÇÃO PARA 2019 É COMPOSTO POR 22 PROJETOS CORRESPONDENTES AOS SEGUINTES PROGRAMAS:

- serviços sanitários

- fornecimento de medicamentos

- suporte elétrico

- formação de talento humano

- promoção esportiva

- promoção cultural

- promoção agro-alimentar

- serviços de apoio ao acordo

- A execução do mesmo estará a cargo de dez ministérios cubanos e dez venezuelanos, e suas respectivas agências executoras.

FORAM ASSINADOS OS CONTRATOS PARA TRÊS DOS PROJETOS INCLUÍDOS NO PLANO:

- Projeto para o Aprofundamento da Política Educacional, no marco do Segundo Plano Socialista 2013-2019 e a revolução do conhecimento, a ciência e a tecnologia, no Subsistema de Educação Básica Venezuelana.

- Projeto para a formação de técnicos, prestação e assessoria aos serviços técnicos de eletromedicina na rede do Ministério do Poder Popular para a Saúde.

- Projeto Missão Barrio Dentro Esportivo.