ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Internet

A mudança meteorológica, ainda que anunciada, não deixou de surpreender os moradores de Havana. Na sua última informação, o Instituto de Meteorologia oferecia as seguintes coordenadas: «De manhã formou-se no sudeste do Golfo do México uma baixa extratropical, a partir da qual se estende uma frente fria para o sul-sudeste. Uma linha de tempestades elétricas pode se formar nas próximas horas, que com o movimento a leste desses sistemas afetará a parte oeste do país hoje à noite e no início da manhã».

Os da Ilha, acostumados a essas advertências, não suspeitavam da magnitude do que viria depois das oito horas da noite.

A capital começou a tremer com o rugido intempestivo dos ventos, depois uma lufada de vento, uma atrás da outra, cada vez mais agressivas. Do outro lado do telefone começaram os alertas: que se um tornado atingiu violentamente Luyanó, se em Cerro ocorreu tempestade local grave, se os carros eram "afogado" nas ruas alagadas, que, se toda a cidade tinha sido sob o manto de uma noite sem estrelas ... em meio da incerteza lógica causada pela escuridão, os ventos intermitentes e sirenes que multiplicavam a tensão, estas imagens ilustram a paisagem dolorosa em que vai despertar a principal cidade cubana.

Várias equipes jornalísticas do Granma se movem em busca de dados mais precisos, após esse extraordinário movimento noturno.

Photo: Internet
Photo: Internet
Photo: Internet
Photo: Internet
Photo: Internet