ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
O chefe de Estado esteve nos municípios atingidos pelo tornado e durante o dia ele conduziu duas reuniões do Conselho de Ministros.Foto: Twitter

EM Cuba, o povo nunca está sozinho. Com ele, em todas as situações, por mais difíceis que sejam, estão suas autoridades.

Assim ficou demonstrado pelo presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, que percorreu na madrugada de 28 de janeiro as áreas da capital afetadas pelo devastador tornado categoria EF 4, que como parte de uma forte tempestade local, formada na borda dianterira de uma frente fria que afetou a região oeste do país, no domingo, 27 de janeiro, causou consideráveis ​​danos materiais e humanos em Havana.

O chefe de Estado esteve nos municípios atingidos pelo tornado e durante o dia liderou duas reuniões do Conselho de Ministros, para avaliar a situação e tomar medidas sobre a recuperação, após os graves danos deixados pelas chuvas e pelo tornado.

Inés María Chapman, vice-presidenta dos Conselhos de Estado e de Ministros, informou sobre a reparação de uma parte da tubulação da rede hidrográfica do Sul, afetada pelo impacto do tornado da noite de 27 de janeiro, escrevendo a partir de seu perfil no Twitter: «Estamos aqui com os trabalhadores de Águas de Havana e o presidente do Instituto Nacional dos Recursos Hidráulicos. Noite de intensa batalha, para restaurar o serviço». Da mesma forma, Chapman e o presidente do INRH, Antonio Rodríguez, percorreram o município de Regla, gravemente afetado.

Nas primeiras horas da manhã de 29 de janeiro, Roberto Morales Ojeda, vice-presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, fez um percurso pelo hospital de Ginecologia e Obstetrícia 10 de Octubre, onde verificou a grande afetação ocasionada pelo tornado. Em sua conta no Twitter, destacou o desempenho de seus dirigentes e trabalhadores, o que permitiu preservar as vidas de crianças e mães. Por seu lado, o ministro da Saúde, José Angel Portal Miranda, transmitiu as condolências às famílias das vítimas do tornado intenso, e disse que os trabalhadores do setor irão trabalhar em conjunto para alcançar uma rápida recuperação de instalações afetadas.

Presume-se que a situação da habitação seja a mais complicada. Foto: Juvenal Balán

A Assembleia Nacional do Poder Popular, também em sua conta no Twitter, transmitiu as mais sinceras condolências às famílias e amigos das vítimas do fenômeno atmosférico. «Todo o apoio e a solidariedade do povo de Cuba para eles. Cabe-nos trabalhar em conjunto para recuperar os danos que foram consideráveis».

O ministro da Economia e Planejamento, Alejandro Gil Fernández, disse a partir de redes sociais: «Trabalhamos pela rápida recuperação da nossa capital. Nós vamos em frente, como sempre».

Bruno Rodríguez Parrilla, ministro das Relações Exteriores, juntou-se à mensagem de encorajamento para o povo e o governo da capital, e pediu para trabalhar em conjunto, para eliminar o mais rapidamente possível o dano deixado pelo fenômeno meteorológico.

Da mesma forma, o ministro das Comunicações, Jorge Luis Perdomo, expressou: «Os trabalhadores das Comunicações já estão trabalhando na restauração das áreas afetadas, onde a infraestrutura externa sofreu danos consideráveis. Têm que levantar rotas e colocar postes. As brigadas com homens e os recursos disponíveis serão reforçadas. Nós vamos vencer».

Além disso, informou que os trabalhadores da Rádio Cuba trabalham desde a manhã de segunda-feira na recuperação de elementos da torre de rádio de onda média de Regla. Como medida temporária, as estações de Rádio Rebelde e Coco são transmitidas por outros centros de transmissão.

Meisi Bolaños Weiss, ministra das Finanças e Preços, informou que os trabalhadores do Ministério e seu sistema, incluindo a ONAT e as empresas de serviços de seguros e avaliação, estão prontas para apoiar a recuperação do efeitos do tornado em Havana.

Nas redes sociais, Rodrigo Malmierca, ministro do Comércio Exterior e o Investimento Estrangeiro, dirigiu uma mensagem ao povo: «Como Fidel e Raúl nos ensinaram, o presidente Díaz-Canel está na primeira trincheira junto ao povo de Cuba. Condolências e convicção de que ninguém ficará desamparado».

Desde cedo, a situação foi diagnosticada. Foto: José Manuel Correa

Operabilidade, disciplina e organização são elementos fundamentais nesta etapa de recuperação dos danos causados ​​pelo forte tornado que devastou vários municípios da capital, e foi esse o espírito que prevaleceu na reunião do Conselho de Defesa Provincial, chefiada por seu presidente, Luis Antonio Torres Iríbar e ativado muito cedo.

«O povo tem que sentir que está bem acompanhado», salientou o primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba em Havana, há algumas horas.

Após receber informações preliminares sobre os danos causados ​​pelo fenômeno meteorológico e coordenar as ações para as próximas horas, Torres Iríbar referiu-se a algumas diretrizes dadas pelo presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, que pediu para trabalhar organizadamente e de uma maneira rápida

Disse que dar informações à população de maneira objetiva, garantindo a alimentação das pessoas afetadas e analisando as variantes de suprimento de combustível em algumas áreas, foram indicações do chefe de Estado.

O primeiro-secretário do Partido em Havana ressaltou que Fidel nos ensinou que nenhum cidadão pode ser abandonado e reconheceu o desempenho eficiente do pessoal da Saúde Pública, não apenas no cuidado dos feridos, mas também na evacuação dos pacientes do hospital Hijas da Galicia, juntamente com as forças da brigada de bombeiros.

OUTROS VENTOS CHEGAM A CUBA

Após o tornado em Havana, a assediada Venezuela, na voz de seu legítimo presidente, Nicolás Maduro, estendeu sua mão amiga, a de seu povo heroico. «Conte o povo de Cuba e nosso irmão presidente @Diaz-CanelB, com toda a solidariedade e o apoio da Venezuela neste momento difícil. Expresso minhas condolências às famílias das vítimas que foram afetadas pelo tornado e pelas fortes chuvas».

Esse também foi o caso da nação boliviana, que abriu as eleições primárias no domingo, a partir da filiação de seus partidos, um passo à frente na democracia daquele país, segundo seu presidente, Evo Morales, na mesma rede social: «Toda a nossa solidariedade com o povo fraterno de Cuba, que sofreu um forte tornado que deixou pelo menos três pessoas mortas e centenas feridas. Enviamos as nossas condolências às famílias das vítimas e oferecemos ao presidente @DiazCanelB o nosso apoio naquilo que for necessário».

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, e a vice-presidenta, Rosario Murillo, também transmitiram a Cuba «todo o nosso amor neste dia de dificuldade e perdas» e comentaram as palavras do embaixador de Cuba na Nicarágua, Juan Carlos Hernández, que assinalou: «Nosso povo saberá superar essas situações», destaca a PL.

De El Salvador, em cuja capital a FMLN lotou as ruas em seu despedida de campanha eleitoral antes das eleições do próximo domingo, seu presidente Salvador Sánchez Ceren expressou: «El Salvador faz votos pela rápida recuperação daqueles que ficaram feridos e expressa sua solidariedade às muitas famílias afetadas por esse fenômeno natural», acrescenta o comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

O chefe do Estado do Panamá, Juan Varela, também disse no Twitter: «Nossa solidariedade com o presidente @DiazCanelB, o povo e o governo de Cuba, após a passagem de um tornado poderoso que deixou uma perda de vidas, feridos e danos materiais em Havana».