ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Camilo Cienfuegos Gorriarán. Foto: Archivo de Granma

Eu sei que se ele estivesse vivo hoje, ele, cuja imagem destruindo os muros de uma fortaleza para transformá-la em escola ficou tão gravada em todos nós, ele ficaria feliz com sua Revolução e seu povo, e faria o que estamos fazendo tudo (...)

Camilo era um homem que amava as tarefas difíceis; poderíamos dizer que era um homem que amava as dificuldades, sabia como enfrentá-las e era capaz de realizar proezas nas mais incríveis circunstâncias (...).

Camilo foi muito claro sobre o que significava a Revolução não em vão teve antecedentes revolucionários em sua família, não em vão foi humilde trabalhador, não em vão bebeu das ideias revolucionárias desde o berço, não em vão teve tremendo temperamento revolucionário, não em vão ele tinha uma grande alma revolucionária. (...)

A história de Camilo adquire todo o seu significado, não só pelo que fez, não só pelos seus heróicos feitos de luta, mas também pelas suas ideias, pelos seus conceitos, para os seus propósitos, profundamente revolucionário. É por isso que eu disse que em um dia como hoje Camilo ficaria feliz, e se houver uma luta pela frente, mais feliz ainda; se houver dificuldades, mais feliz; se houver um desafio, mais feliz; se as injustiças continuarem a ser corrigidas, mais feliz; e se a luta heróica e histórica de nosso povo contra o império for mantida em todo o seu vigor, mais feliz seria Camilo!

O caminho do nosso povo, a marcha firme do nosso povo, sem claudicação ou hesitação, suas conquistas em meio à agressão e ao bloqueio, suas perspectivas futuras, tenho certeza de que teriam impressionado Camilo extraordinariamente.

É necessário que hoje, quando nos lembramos dele com tanto carinho, tenhamos em mente que: ele desapareceu cedo, o quanto ele poderia ter feito nestes anos! Mas o importante é que as coisas pelas que ele lutou com paixão e para as quais deu sua vida, estão sendo feitas e foram feitas, e este povo seja o mesmo ao que ele falou lá no velho Palácio, quando disse que a testa não se curvaria, tão só diante dos mortos, para dizer-lhes um dia que a Revolução foi cumprida.