ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

DEVIDO à sua condição de país insular e à sua posição geográfica, Cuba é vulnerável ao impacto de fenômenos meteorológicos cuja intensidade e frequência aumentaram nos últimos anos.
Diante dessa realidade — e de acordo com a política de proteção ambiental perseguida pelo governo como uma de suas prioridades estratégicas — foi aprovado em 2017 o Plano Estatal de Enfrentamento à Mudança do Clima, conhecido como Tarefa Vida.
Ações concretas como o reflorestamento, a criação de barreiras naturais para mitigar os efeitos da salinização, bem como o cuidado da flora e da fauna (que de muito antes recebem um forte impulso governamental) atestam o que pode ser feito para preservar o meio ambiente, mas além do tangível ainda existe uma baixa percepção dos riscos e vulnerabilidades na população.
Os ministérios, agências e instituições do Estado têm objetivos específicos diretamente relacionados à Tarefa Vida, visando combater os danos nas áreas costeiras e fundamentados numa base científica multidisciplinar.
«Dentro da Tarefa Vida é a número 10ª, que pertence ao Ministério da Educação (Mined)» — assevera o dr. Orestes Valdés Valdés, especialista em Educação Ambiental da Direção das Ciências e Tecnologias do Mined — «e que fala de priorizar as medidas e ações para elevar a percepção de risco, aumentar o nível de conhecimento e o grau de participação de toda a população no enfrentamento às mudanças climáticas, bem como promover uma cultura de poupança e preservação da água».
«Nesta 10ª tarefa as ações do Ministério da Educação são realizadas. Os estudos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, junto com outras instituições, determinaram a baixa percepção de risco que a sociedade e a população cubana têm sobre essas questões», afirma.
Falar e agir em termos de adaptação, mitigação de riscos e resiliência é uma forma de educar e preparar instituições e cidadãos para enfrentar os eventos naturais extremos, que eram pouco visíveis há algumas décadas.
Desde 1997, o Mined tem uma estratégia de Educação Ambiental cujo objetivo é que tudo o relacionado à proteção do meio ambiente e o trabalho educacional esteja vinculado à aula, sem a necessidade de criar outra disciplina.

«Para conseguir que isso seja articulado sem ser mais uma disciplina» — acrescenta o dr. Valdés Valdés — «tem que conseguir um segundo aspecto: a preparação de professores através do trabalho metodológico, fazer um trabalho em uma escola primária, secundária básica, pré-universitária, para que nas escolas pedagógicas, onde os professores também são treinados, a capacitação e a preparação para esse trabalho de educação ambiental seja alcançada».
O trabalho dos círculos de interesse e as sociedades científicas sobre questões relacionadas à proteção do meio ambiente, a contaminação da água, do solo e da atmosfera; o desmatamento, bem como a proteção da flora, da fauna e a preservação da biodiversidade, tem como objetivo criar um comportamento harmônico com a natureza nos estudantes. Mas na situação atual as ações do setor educacional vão muito além.

«Atualmente, o Ministério da Educação, em conjunto com as direções provinciais e municipais, está fazendo um levantamento das instituições de ensino que se situam entre 0 e 1.000 metros da costa — assevera o especialista em Educação Ambiental —. Estamos fazendo esse inventário para informar o Estado e poder desenvolver um projeto de microlocalização com estas instituições, porque, nesse caso, devemos aplicar medidas de adaptação».
«Este é um trabalho em longo prazo. Queremos que nas escolas, os professores e estudantes entendam o que é a mudança climática, que existe, que é objetivo, real, inequívoco; queremos que se entenda dentro de uma escola que existem riscos determinados pelos perigos e vulnerabilidades», enfatizou.
DAS UNIVERSIDADES
A formação de profissionais universitários também inclui a preparação em aspectos relacionados à redução do risco de desastres.
Com uma visão integrada, questões ambientais nas universidades analisa fenômenos como a disponibilidade de água, a deterioração dos ecossistemas, a perda da biodiversidade, a degradação do solo, a poluição e a cobertura florestal; e como a soma destes é uma causa ou consequência da mudança climática.
O documento Tarefa Vida: por e de Cuba, preservando a Humanidade! — cujo objetivo é introduzir a Educação Ambiental para o Desenvolvimento Sustentável no plano E das carreiras de nível superior — diz em uma de suas partes: «(...) é vital o compromisso das universidades cubanas com o cumprimento do Plano Estadual para o Enfrentamento à Mudança Climática».
Intimamente ligada com o programa do Estado cubano, com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e com a Agenda 2030, a educação ambiental é destinada a mudar radicalmente a forma como nos relacionamos com a natureza e criar um senso de respeito e conservação, daí a necessidade de abordar essas questões na educação.

Atualmente, as casas de altos estudos, juntamente com as instituições subordinadas ao Ministério da Educação, trabalham na conceituação do conteúdo ambiental nos currículos das carreiras, planos e programas de estudo, conforme o orientado na Estratégia Ambiental Nacional, o Programa Nacional de Educação Ambiental 2016-2020 e a Tarefa Vida.
A mestra em Ciências Hilda Ruiz, assessora da Direção de Formação de Profissionais do Ministério do Ensino Superior, ao se referir à estratégia ambiental, garante:
«O programa nacional de enfrentamento à mudança climática revelou a necessidade de rever e adaptar o conteúdo da estratégia curricular das carreiras em função dos problemas ambientais detectados nas áreas econômica e social do nosso país. Para isso, a direção de Formação de Profissionais do MES enviou indicações metodológicas para as universidades».
A fim de garantir que os futuros profissionais, a partir de uma base científica e responsável, ofereçam soluções possíveis para problemas ambientais de origem antropogênica (impacto humano no meio ambiente), trabalha-se na projeção de uma estratégia curricular que aborde essas questões.
«A formação ambiental que o aluno recebe da dimensão curricular pode ser complementada com o trabalho de investigação que alguns deles realizem de forma extracurricular sob a orientação de um professor-tutor e com as atividades de extensão universitária que estão planeadas na carreira e na universidade», aponta Ruiz.
Embora os resultados da Tarefa Vida sejam vistos em longo prazo, as instituições de ensino já estão trabalhando para levar o assunto àqueles que estão agora nas salas de aula. É uma boa maneira de resolver um problema que, se não resolvido, colocaria o futuro em jogo.

10º ITEM DA TAREFA VIDA

Priorizar as medidas e ações para elevar a percepção de risco e aumentar o nível de conhecimento e o grau de participação de toda a população frente às mudanças climáticas e uma cultura que estimule a poupança de água. (Fonte: EcuRed)

ESTRATÉGIA AMBIENTAL NACIONAL

Em 1997, o governo cubano aprovou a Estratégia Nacional do Meio Ambiente (EAN). Como documento governante da política ambiental do país, a ENA é uma ferramenta que contribui para fortalecer o conceito de desenvolvimento econômico e social sustentável consagrado na Constituição da República de Cuba. O documento foi atualizado nos ciclos 2007-2010, 2011-2015 e 2016-2020 (Fontes: Ministério da Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, Estratégia Ambiental Nacional 2011/2015, Bohemia)

PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL (2016-2020).

CONTEÚDOS:

- Mudança climática. Plano Estatal de Enfrentamento à Mudança Climática (Tarefa Vida)
- Gerenciamento de Risco de Desastres
- Uso sustentável dos recursos hídricos
- Uso sustentável da diversidade biológica
- Gestão sustentável de terras
- Luta contra a poluição ambiental
- Manuseio seguro de produtos químicos e resíduos perigosos
- Consumo e produção sustentáveis
- Gestão da zona costeira
- Direito e participação cidadã
- Proteção do patrimônio natural e cultural
- Uso sustentável da energia
- Economia ambiental e ecológica
- Gestão de Bacias Hidrográficas
- Legislação ambiental
- Segurança alimentar

Equidade social com estilos de vida sadios e saudáveis (Fonte: Documento Tarefa Vida: por e de Cuba, preservando a Humanidade!) •