ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

A visita oficial do príncipe Charles de Gales e da duquesa Camilla da Cornualha a Cuba, de 24 a 27 de março, foi notícia nos dias de hoje. O casal real percorreu no dia 26 de março, o Centro Histórico de Havana, acompanhado por seu historiador dr. Eusebio Leal Spengler, bem como outros locais da geografia da cidade.

O Príncipe Britânico e a Duquesa chegaram ao parque de John Lennon, situado nas ruas 17 e 8, na área residencial de Vedado, para apreciar a escultura do músico que fez parte de Os Beattles, uma obra de artista cubano José Villa Soberón, inaugurada em 8 de dezembro de 2000, na presença do Comandante-em-Chefe Fidel Castro Ruz, como parte de atividades de lembrança, que tiveram lugar na Ilha para honrar a memória de Lennon, no 20º aniversário de seu assassinato.

Ao local visitado, o Príncipe e sua esposa chegaram em um carro MG TD, de 1953, dirigido pelo herdeiro da coroa do Reino Unido da Grã-Bretanha e da Irlanda do Norte. Lá, moradores da comunidade e colegas residentes em Cuba desses ilustres convidados, testemunharam a admiração de ambas as figuras diante da estátua de Lennon, onde estivevam sentados alguns minutos.

Tudo isso aconteceu depois que o casal teve uma reunião com membros do Clube de Carros Clássicos Britânicos na Ilha, coordenado por Lupe Fuentes.

A ocasião foi propícia para o Príncipe de Gales e a duquesa conversarem com o artista visual Alejandro Sautié Viera, que desenvolve um projeto artístico relacionado com a presença britânica em Cuba, que foi do interesse dos visitantes.

«A Duquesa Camilla aproximou-se do meu carro e ficou impressionada com as transformações que lhe fiz. Perguntou sobre o carro e esteve interessada em meu projeto chamado The Beatles Car», disse ao Granma Internacional o artista, que terá uma participação performativa, também associada com a famosa banda (Listening to the Beatles, creating my beetles) na 13ª Bienal de Havana (de 12 a 12 de maio), na qual o carro desempenha um papel essencial.

Mais tarde, os membros da família real dessa nação europeia chegaram ao Centro Cultural Submarino Amarillo, da empresa Artex, nomeado em referência a uma das músicas mais famosas da banda inglesa, onde foram recebidos pelo grupo de Eddy Escobar e Guille Vilar, destacado jornalista e promotor cultural e diretor daquela instituição.

Por outro lado, a Duquesa Camilla teve uma reunião frutífera na sede da Federação das Mulheres Cubanas (FMC). Lá, a esposa do Príncipe de Gales foi recebida por Teresa Amarelle, secretária geral da organização, e conversou com funcionários de várias instituições sobre questões relacionadas à igualdade das mulheres e à violência de gênero.

Entre outros referentes, a líder cubana explicou sobre a missão da FMC, um espaço em que todas as mulheres da Ilha têm um lugar, e abundou em temas em que a visitante mostrava interesse. Para a Duquesa, a organização desempenha um papel muito importante na sociedade, e é por isso que ela a parabenizou.

Na presença do Comandante da Revolução Ramiro Valdés Menéndez, vice-presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, também o príncipe participou da cerimônia de colocação da primeira pedra do Parque Fotovoltaico, da empresa Mariel Solar SA, na Zona de Desenvolvimento Especial Mariel, capaz de gerar 50 megawatts e que é executado com investimento britânico.

Acerca das particularidades da empresa, seu diretor Andrew MacDonald explicou que o projeto consiste em três áreas: Habana Libre, Trebol e Herradura e que em setembro próximo poderá iniciar a geração de energia. O líder do projeto disse que o setor de energia renovável tem um grande futuro no país caribenho.

Também esteve presente Anthony Stokes, embaixador britânico em Cuba, que disse sobre este evento econômico que é um exemplo da contribuição da Grã-Bretanha para o desenvolvimento econômico cubano.

Para Rodrigo Malmierca, ministro do Comércio Exterior e o Investimento Estrangeiro, essa abertura significa mais um momento positivo de relacionamento entre as duas nações.

NO CENTRO DE IMUNOLOGIA MOLECULAR

Em 27 de março, o herdeiro da Coroa britânica recebeu informações sobre o progresso da indústria cubana de biotecnologia, durante uma visita às instalações do Centro de Imunologia Molecular (CIM).

A esse respeito, o presidente da BioCubaFarma, Eduardo Martínez, recebeu o Príncipe de Gales nas instalações do CIM, localizado em Havana.

Carlos conheceu três pacientes tratados com a vacina terapêutica cubana contra o câncer de pulmão, Cimavax, um dos principais produtos mundiais para o tratamento desta doença.

O visitante também visitou um laboratório de pesquisa e desenvolvimento do CIM, uma das instalações de maior prestígio do polo científico da Ilha maior das Antilhas.

O Centro de Imunologia Molecular é uma instituição biotecnológica de ciclo fechado (pesquisa e desenvolvimento, produção e marketing), que a partir da cultura de células superiores orienta a sua pesquisa fundamental, o desenvolvimento e a fabricação de produtos para o tratamento de câncer e de outras doenças autoimunes, de acordo com o site Cubadebate.

No percurso também estavam presentes o diretor do CIM, Eduardo Ojito e outros cientistas do Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia e do Centro Nacional de Pesquisa Científica.

O Príncipe de Gales e sua esposa também cumpriram um programa rigoroso de atividades na Ilha, entre as quais se incluiu a visita ao Grande Teatro de Havana Alicia Alonso para testemunhar uma função de balé, bem como visitas ao ginásio Rafael Trejo, de antiga Havana, sede da Companhia Acosta Danza, à Fábrica de arte cubana, o projeto da comunidade Muraleando e os estúdios Areito, da Empresa de Gravações e Edições Musicais (Egrem), entre outros. (Redação Granma Internacional).