ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

Mas os momentos de emoção e patriotismo ainda não terminaram. Jovens do batalhão de cerimônias das Forças Armadas (FARs) entraram no plenário com a nova Constituição, sob os acordes de uma marcha tocada pela banda de música das FARs. Raul, Diaz-Canel e Lazo estavam à espera, em pé, e o primeiro recebeu o documento histórico, colocando-o em um pedestal, ao lado da Constituição de Guáimaro, testemunha da solene Sessão Extraordinária do Carta Parlamento.

Muitos dos presentes cantaram o Hino Invasor, cantado pelo Coro Nacional, tendo como imagens de fundo uma carga da cavalaria mambisa e imagens de Fidel na Serra Maestra, com Juan Almeida, Che Guevara e outros combatentes dos nossos últimos feitos heróicos.

O presidente do Parlamento concluiu a sessão e afirmou que a Constituição, proclamada em 10 de abril, marca o presente e o futuro da nação cubana, de homens e mulheres livres em defesa da Revolução Cubana, em todas as frentes.

Raul saiu de seu posto e foi apertando a mão dos membros do Conselho de Ministros, localizados na primeira fila, e Diaz-Canel cumprimentou os membros do Parlamento e do Conselho de Estado e de Ministros que ocuparam assentos na presidência. Uma voz bradou Viva a Revolução, seguida de um ¡Viva! unânime e aplausos prolongados, a melhor desculpa para liberar tantas emoções.