ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Na fazenda intensiva de cria de tilápia, perto da comunidade de Barrancas, Díaz-Canel reconheceu a eficiência do coletivo. Photo: Estudio Revolución

DEZ meses mais tarde, o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez voltou para a província de Granma, acompanhados de novo pelo Conselho de Ministros para, a partir dos territórios, continuar promovendo soluções, desbloqueando problemas e conversando com aqueles que todos os dias se dedicam a construir a nação.

«Vamos sair em frente», disse o presidente em várias ocasiões, com um otimismo enraizado no potencial do país e na linhagem vitoriosa dos cubanos.

Essas capacidades pôde constatá-las novamente o presidente na quarta-feira 8, de manhã, no município de Jiguaní, em Granma, quando visitou a Empresa de Genética e Cria «Manuel Fajardo», conhecida como o berço da raça cubana de gado Charolês. O diretor da instituição, Edgardo Benitez Figueredo, disse ao chefe de Estado que lá produzem animais de alto valor genético, bem como lacticínios, carne e seus derivados para o mercado nacional e o turismo.

A empresa possui mais de 19.000 hectares de terra, dos quais cerca de 14.000 hectares são usadas ​​para a pecuária.

Em seus rebanhos, que ultrapassam as 10.500 cabeças, estão as melhores amostras da raça charolês, zebu e crioula que o país possui. Segundo o diretor, a força de trabalho é de 967 trabalhadores, 238 são mulheres; e o salário médio é de cerca de 998 pesos, que é avaliado trimestralmente com base nos resultados e indicadores de eficiência.

Quando perguntado pelo presidente acerca da alimentação animal a partir de plantas com alto teor de proteínas, Benitez Figueredo salientou que estão sendo preparados 389 hectares de terra para o plantio de gramíneas e forrageiras, incluindo cem deles dedicados, por exemplo, a moringa, amoreira e tithonia, com o objetivo de melhorar o balanço alimentar e reduzir os gastos que o país faz hoje para importar ração.

Da mesma forma, o diretor explicou sobre o uso da técnica da transferência de embriões na empresa, que permite aproveitar muito o potencial genético e que por três décadas tinha deixado de ser realizado na entidade, não por falta de recursos, mas por negligência.

Sobre o assunto, Díaz-Canel disse que durante os anos mais difíceis do ‘período especial’ deteriorou-se consideravelmente a pecuária no país, ao serem abandonadas muitas das práticas que o Comandante-em-chefe tinha concebido, como parte do desenvolvimento desta atividade importante. Diante dessa realidade, disse, o ministério da Agricultura foi instruído a realizar imediatamente um programa para revigorá-lo. O presidente pediu para desenvolver a atividade no setor privado, mas fundamentalmente nas empresas estatais, onde é possível concentrar a maior quantidade de tecnologias.

QUANDO O ASPECTO LOCAL DETERMINA

O presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros também visitou o Combinado de Mármore «Manuel Hernandez Osorio», pertencente à unidade de Bse de negócios Mármores Oriente, localizado perto da cidade de Santa Rita, em Jiguaní.

Considerado o maior do gênero no país, trabalha principalmente com o mármore Crema Valle, de alta demanda; e suas produções são destinadas à Saúde Pública, o turismo e outras obras sociais. Anualmente, o Combinado produz cerca de 140.000 metros quadrados de mármore e mantém todos os seus indicadores econômicos com resultados muito bons.

A agenda, em seguida, continuou no Polo Produtivo Cautillo, descrita pelo presidente como estratégica pela sua proximidade à cidade de Bayamo, as estradas em torno dele e a barragem de 85 milhões de metros cúbicos de água que serve para irrigar sua terra.

Conta com 2.403 hectares, dos quais são plantadas 1.800 e se espera chegar a 2.324 no final da campanha de plantio da primavera, com cinco culturas: banana, mandioca, milho, batata-doce e abóbora.

Através da troca com os gestores e trabalhadores, o presidente disse que se está fazendo um levantamento de toda a terra que foi dada em usufruto — cerca de um milhão de hectares — para saber como foi usado, como suas produções são contratadas e o que precisam os beneficiários efetivos, considerou.

O presidente, em seguida, visitou as instalações onde estará o Centro de Reprodução de Entomófagos e Entomopatógenos «Las Tamaras», que começou a ser construído no final de 2018 e tem data de conclusão para junho deste ano, segundo soube. Na província existem 21 desses centros e no país, 264. De acordo com o ministro da Agricultura, Gustavo Rodriguez Rollero, a intenção é recuperar todos eles, pois durante muito tempo optamos por importações de fertilizantes, deixando de lado esta técnica agrícola ecológica que provou ser eficaz em todos os tipos de culturas e muito mais amiga do ambiente.

Como último ponto da viagem, durante a manhã de quarta-feira, 8, Díaz-Canel chegou ao centro de produção local de materiais da construção «Siboney», onde é elaborada uma grande variedade de sortimentos para a construção de moradias. Lá, mostrou interesse na ordem na venda de materiais para a população, pelas condições em que os seus trabalhadores trabalham e o cumprimento das indicações da política habitacional, de que cada município seja capaz de produzir diariamente todos os itens que contém uma casa.

A este respeito, o presidente do governo da província, Manuel Sobrino Martinez disse que o território tem a capacidade instalada para atender a essa indicação, mas não o conseguem devido, principalmente, à instabilidade com aço, cimento e agregados.

APRENDER COM A EFICIÊNCIA

«Isso é ‘catar mangas baixas’». Assim disse o presidente cubano a dois pescadores que com a água à altura da cintura encurralavam com uma rede 3.000 tilápias vermelhas em uma piscina de engorda artificial.

Os peixes não tinham para onde fugir, e ao capturar um deles e verificar o tamanho deles que apenas três criadores conseguiram em seis meses (30 gramas a meio quilo), o presidente disse, em brincadeira, que «catar mangas baixas» desta maneira, e com tais resultados, é necessário e urgente.

Na fazenda intensiva de tilápias, perto da comunidade de Barrancas, assentamento rural de Bayamo, começou a jornada noturna que deu continuidade à visita do governo. Lá, o presidente reconheceu a alta eficiência com que apenas sete trabalhadores conseguem criar os peixes em 40 piscinas artificiais, em níveis diferentes, ligadas pela água que extraem de um canal paralelo e, em seguida, devolvem-na integralmente, dando atenção a uns 80 mil desses peixes, entregando no ano passado umas 40 toneladas de peixe fresco e que no presente tentam aumentar para 50 toneladas.

A produção, destinada a um mercado interno de divisas, torna realidade a ligação, tantas vezes falada, com o turismo, impacta na substituição de importações, e é obtida com a nobreza que implica não ter gastos de água ou excesso de eletricidade, além de uma força de trabalho ajustada e racional que ligada ao produzido, calcula a média de renda mensal pessoal de 1.200 pesos e 50 CUCs.

Satisfeitos com a taxa de conversão, segundo a qual obtêm uma tonelada de peixe em cada 1,8 de ração animal, Díaz-Canel soube que a criação intensiva na província representa atualmente 40% das produções de água doce — regidas pela empresa Pescagran — uma relação que deve ser investida em relação ao cultivo extensivo, até atingir 60%.

O presidente constatou no local a diversidade de variedades industriais à base de peixe que são fabricadas na província, perguntou sobre as possibilidades reais de exportar, e convencido de que existem inúmeros locais cubanos com condições semelhantes para replicar a experiência Granma, disse à ministra da Indústria dos alimentos, Iris Quiñones, executar no futuro imediato um levantamento dos locais com condições de infraestrutura mínima em que este tipo de agricultura intensiva poderia se desenvolver e priorizá-los dentro do programa nacional para o desenvolvimento da aquicultura.

«Porque é uma ilha, no desenvolvimento da pesca em Cuba há muito a ser feito», disse, em umas reflexões que juntaram critérios sobre a necessidade de revitalizar a pesca na plataforma e em águas internacionais.

ASPIRAÇÃO NACIONAL EM UMA COOPERATIVA

O presidente cubano chegou à fazenda Bella Aurora, da cooperativa de créditos e serviços Niceto Perez, onde o produtor Humberto Labrada reforçou a convicção do presidente acerca das infinitas possibilidades de conhecimento implementadas na exploração do potencial local.

Com entusiasmo notável, o presidente constatou o empreendimento de um fazendeiro cuja atividade principal impressionante é a cria de porcos e galinhas, dedicado à engorda produção de ovos e engorda.

Das mãos de um projeto com financiamento nacional e estrangeiro, e com base em suas habilidades como avicultor de escola, Labrada está a criar condições para fechar um ciclo que começa em reproduzir seus animais, continua a engorda com a própria alimentação, em um moderno local de abate e conclui na colocação de frango limpo no mercado, refrigerado e pronto para consumo.

EM BAYAMO ESTA A ESSÊNCIA DA REVOLUÇÃO

A cidade de Bayamo foi especialmente cálida com o presidente cubano Miguel Díaz-Canel Bermúdez, que dirige durante dois dias uma visita do Conselho de Ministros à província de Granma, a segunda feita a este território oriental, desde que começaram a ser comuns estes percursos pelo país.

Depois de um calendário apertado, que incluiu passeios por lugares tão diversos como uma empresa genética, um combinado de mármore, um pólo produtivo, a produção de peixes de água doce e a universidade, o chefe de Estado aproveitou a noite para caminhar por vários locais da cidade, conhecidos em toda a Ilha pela sua beleza, limpeza e hospitalidade de quem nela habita.

Por ruas movimentadas e cheias de pessoas depois das nove horas caminhou o presidente, que visitou, por exemplo, a sorveteria Las Torres, onde falou com as pessoas que naquele momento tomavam deliciosos sorvetes e um excelente serviço.

Em seguida, visitou o hotel Telégrafo, localizado no centro histórico da cidade e que reabriu suas portas após uma reforma total. Com vinte quartos, a instalação incorpora normas da marca Encanto, um produto pertencente ao grupo Cubanacan, caracterizado por uma atmosfera íntima e atenção pessoal.

Também visitou o restaurante La Filarmónica, localizado na rua General Garcia, a principal artéria comercial da cidade. Lá se oferece comida internacional para cerca de 60 comensais e o nome do site evoca a primeira sociedade cultural fundada em Bayamo, em 1851, à que estiveram ligados patriotas como Carlos Manuel de Céspedes e Perucho Figueredo. As paredes do restaurante lembram importantes personalidades e eventos que marcaram a história de Bayamo, uma cidade Monumento Nacional.

Mais tarde, o presidente participou da inauguração da Sala do Teatro José Joaquín Palma, objeto de uma reparação total que permitiu sua utilização como sala de concertos. Com Federico Hernandez e Manuel Sobrino, altas autoridades do Partido e do Governo da província, Diaz-Canel desfrutou de um excelente momento cultural, estrelado por jovens artistas do território.

O último ponto da turnê foi a casa onde nasceu Carlos Manuel de Céspedes, imperdível local na cidade, após uma restauração geral reaberta em 18 de abril, o dia em que marcou o 200º aniversário do nascimento do famoso bayamês. Guiado por Aldo Daniel Naranjo, diretor da instituição, Díaz-Canel aprendeu sobre o novo desenho museográfico.

Na saíde deste sítio histórico, local de nascimento do pai da nação, o chefe de Estado conversou com moradores de Bayamo que esperavam por ele e explicou que o Conselho de Ministros foi visitar a província, onde tinha visto algumas coisas muito interessantes e outros em que devemos continuar trabalhando, bem como formas de apoiar mais o território na solução de seus problemas.

«Nós sabemos que estamos passando por momentos difíceis», disse Díaz-Canel. Tivemos problemas de oferta, financiamento e outras limitações produzidas pelas novas medidas dos Estados Unidos, a perseguição financeira e o ressurgimento do bloqueio».

«Nada disso nos intimida e vamos continuar lutando e vamos continuar vencendo. Essa é a maior homenagem que podemos fazer a Fidel e a melhor maneira de perpetuar a Revolução. É por isso que Bayamo é importante, porque aqui está a essência da Revolução».