ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Lopez Miera observou que muitos chineses lutaram ao lado de Antonio Maceo, deixando uma marca por sua abnegação no combate e suas convicções revolucionárias. Arquivo do Granma

O primeiro vice-ministro das Forças Armadas Revolucionárias, general-de-corpo-de-exército Álvaro López Miera, recebeu na manhã da terça-feira, 14 de maio, o diretor do Departamento de Trabalho Político da Comissão Militar do Partido Comunista da China, almirante Miao Hua, que iniciou uma visita de trabalho a Cuba com o objetivo de trocar experiências no campo do trabalho político-ideológico e cultural.

A cerimônia de recepção incluiu uma homenagem de ambos os oficiais à memória de Antonio Maceo e Francisco Gómez Toro, no Mausoléu Cacahual, no qual o ato libertário dos cubanos contra o colonialismo foi lembrado, e como os exemplos dos heróis são valiosas armas na desconstrução das mentiras ideológicas que os impérios lançam em direção aos povos do mundo.

Lopez Miera ressaltou que junto com Maceo muitos chineses lutaram e deixaram uma marca por sua abnegação no combate e suas convicções revolucionárias, e que, de acordo com um adágio das guerras libertárias cubanas, «nunca houve um chinês que traisse ou fosse um covarde».

Miao Hua agradeceu as boas vindas de Cuba, bem como as explicações sobre a história das lutas pela independência e disse que o exemplo dos heróis levantou durante décadas a moral do Exército Vermelho de seu país. «Estamos ansiosos para trabalhar juntos na esfera política e aprender com suas experiências em torno do trabalho com a história», disse.

A República Popular da China e Cuba mantêm uma ampla relação política e econômica enraizada nas tradições de luta de ambas as nações e nas vitórias alcançadas por seus povos, um legado transcendental para as novas gerações.