ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Os membros da 30ª edição da Caravana de Amizade Pastores pela Paz prestaram homenagem em Havana a Lucius Walker, líder da organização e ativista dos direitos humanos, na tarja que o lembra na Tribuna Antiimperialista. Foto: Liborio Noval

OS membros da 30ª Caravana da Amizade da Fundação Interreligiosa para a Organização Comunitária (IFCO) Pastores pela Paz, que dialogou com a comunidade de fé e atores da sociedade civil cubana, e que conheceram de perto o trabalho do povo trabalhador em vários territórios e setores da Ilha, ratificaram que permanecerão firmes com Cuba até que o bloqueio econômico, financeiro e comercial injusto imposto pelos EUA por mais de meio século termine.

Numa entrevista coletiva realizada na sede do Instituto Cubano de Amizade com os Povos, Gail Walker, diretora-executiva dessa organização de solidariedade norte-americana, asseverou que tornarão cada vez mais visíveis os efeitos do bloqueio econômico imposto sobre a Ilha maior das Antilhas, em suas comunidades e nas redes sociais na Internet.

Walker salientou que as trocas sustentadas permitiram que a delegação – integrada por estadunidenses, mexicanos e canadenses – tivesse uma maior aproximação da realidade cubana, sob a premissa de respeitar e defender a soberania dos povos, como seres de fé e consciência.

Os membros da 30ª edição da Caravana de Amizade Pastores pela Paz prestaram homenagem em Havana a Lucius Walker, líder da organização e ativista dos direitos humanos, na tarja que o lembra na Tribuna Antiimperialista. Foto: Alberto Borrego

Asseverou que em seu país se comemorou, no dia 4 de julho, a independência nacional e a alegada existência de um conjunto de liberdades, mas seu governo continua violando as leis federais, impedindo viagens dos cidadãos a Cuba, e que eles têm direito à sua independência, para defender Cuba e exigir o fim de toda arbitrariedade.

Em declarações exclusivas ao Granma Internacional sobre a ativação do Título III da Lei Helms-Burton, observou que este é outro exemplo de como o governo de Donald Trump perdeu o contato com as pessoas, porque todo mundo que conhece a Lei sabe que é um absurdo e não leva a lugar nenhum, e até mesmo essa visão existe em muitos membros da comunidade cubana do sul da Flórida.

O canadense Colin Stuart também confirmou o apoio dos Pastores pela Paz à irmã República Bolivariana da Venezuela. «Sempre fomos solidários com Cuba, agora devemos fazer o mesmo com a Venezuela», afirmou.

Em Cienfuegos, os membros da Caravana Pastores pela Paz realizaram um plano abrangente de atividades, como um diálogo com alunos da escola para crianças autistas Vilma Espín, com membros dos Comitês de Defesa da Revolução (CDRs) e da Federação das Mulheres Cubanas (FMC). Além disso, visitaram outros locais de interesse.