ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Morejón, Roberto

Ainda sem medalhas, Cuba se faz sentir nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, e a prova mais fiel a achamos no vôlei de praia, modalidade na qual o Brasil sofreu diretamente o ataque da dupla cubana (Nivaldo Díaz e Sergio González).

À margem da quinta colocação de Dayaris Mestre, no judô, e a classificação de Manrique Larduet, o qual estará em três finais, na ginástica artística, sem dúvida atuações de significação, Nivaldo e Sergio tiveram o prazer de silenciar a areia localizada na praia Copacabana, após vencer a dupla de Pedro Solberg-Junior Evandro, medalha de bronze no último Mundial da Holanda, em 2015.

Crescimento, sangue frio e determinação demonstraram os antilhanos perante milhares de pessoas sedentas do triunfo, que finalmente não puderam celebrar na estreia de uma das seleções insígnias. Também, em Copacabana, mas no ciclismo de rota para mulheres, foi histórica a atuação de Arlenis Sierra, atleta de Manzanillo, Granma, que ficou na 28ª colocação, apesar dos inoportunos impedimentos técnicos de sua bicicleta, o que representa a melhor atuação de uma cubana nesta modalidade.

O fim de semana nos deixou coisas nunca vistas, como as primeiras medalhas, na história dos jogos olímpicos, para o Vietnã e o Kossovo, está última nação aceita pelo Comitê Olímpico Internacional, em outubro de 2014. Sem dúvida, Xuan Vinh Hoang, na pistola de ar, e a judoca Majlinda Kelmendi são os heróis indiscutíveis desses países neste minuto.

Porém, o esporte também deixou excelentes sensações aos cubanos, entre sábado e domingo e não só devido aos Jogos Olímpicos. No continente asiático, na localidade de Iwaku, ao sul do Japão, a seleção nacional de beisebol, categoria Sub-15, reconquistou a coroa mundial, após vencer por 9-4 os anfitriões japoneses no jogo decisivo.

Os cubanos repetiram o primeiro lugar conseguido, há dois anos, em Sinaloa, México, agora com magnífico desempenho de Loidel Chapellí Jr., nomeado o Jogador mais valioso do evento, tal como Daniel Alejandro Castilho, Hansel Otamendi e Malcom Yaniel Núñez, incluídos no time Todos Estrelas.                                           

Também do beisebol, mas em nossa terra, neste domingo, 7 de agosto, começou o 56º Campeonato Nacional, o principal espetáculo esportivo da nação. Infortúnio pela suspensão por chuva do jogo em Ciego de Ávila, terra dos atuais campeões, onde seria efetuada a inauguração central. Porém, nos outros sete estádios viveu-se a paixão por excelência dos cubanos, que por estes dias viverão a emoção do beisebol à espera dos grandes triunfos que, pouco a pouco, devem chegar do Rio de Janeiro.