ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Ricardo López Hevia

RIO DE JANEIRO.— Com a terceira medalha de ouro obtida pelos punhos de Julio César La Cruz, nos 81 quilos do boxe, a delegação cubana se mantém na 21ª colocação do quadro de medalhas dos 31os Jogos Olímpicos, enquanto tentará ganhar outras medalhas nas jornadas finais.

O pugilista cubano, natural de Camagüey e alcunhado de “A Sombra”, foi literalmente um enigma na grande final dos 81 quilos e dessa forma apagou a péssima imagem, que deixou nos Jogos Olímpicos anteriores, onde ficou fora das medalhas, de maneira inesperada.

Agora não houve casualidades com seu estilo baseado na esquiva, a velocidade e as rápidas entradas e saídas, batendo na anatomia do seu rival, o kazaque Adilbek Niyazymbetov. Dessa forma, obteve o primeiro título do boxe nesta olimpíada, que poderão ser mais, pois Robeisy Ramírez (56 quilos) e Arlen López (75), também discutirão as medalhas de ouro em suas divisões.  

RESULTADOS DO DIA 18 de AGOSTO

A quarteta de Cuba acabou na sétima colocação, na segunda eliminação, nos 4x100m(m), com 38.47segundos. No caiaque, a dupla cubana de Jorge García/Reinier Torres terminou na sexta colocação, na final B, no caiaque a 1000 metros, com 3:18.768. Leydis Laura Moya, na prova de esgrima do pentatlo, perdeu para a tcheca Barbora Kodedova. E no decatlo, Leonel Suarez terminou na sexta colocação, com 8.460 pontos, enquanto Yordani Garcia finalizou na 17ª colocação, com 7.961.

Cuba aparece na 21ª colocação do quadro de medalhas, com três de ouro, duas de prata e quatro de bronze.

Na sexta-feira, 19 de agosto, Cuba concorre na luta livre, com Yowlys Bonne, nos 57 quilos, e Liván López (74). No atletismo, Yarisley Silva tentará desafíar as alturas, no salto com vara.