ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Estudio Revolución

NOVA YORK.— Em um dia marcado pela constante chuva fria na Grande Maçã, o presidente dos Conselhos de Estado e Ministros de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, chegou à Missão Permanente do Vietnã junto às Nações Unidas para , em nome do povo e do governo da ilha, oferecer condolências pela recente morte do presidente daquele país irmão, Tran Dai Quang.

Acompanhado pelos representantes permanentes de Cuba e do Vietnã perante a ONU, Anayansi Rodríguez Camejo e Dang Dinh Quy, o presidente escreveu em suas próprias palavras: «O povo cubano e o governo recordarão sempre com gratidão o camarada Quang por sua permanente contribuição ao fortalecimento das relações históricas entre nossos países».

E acrescentou: «Nossas mais profundas condolências ao povo, governo e familiares do companheiro Quang».

O presidente do Vietnã, eleito em abril de 2016, faleceu em 21 de setembro, aos 61 anos, e suas honras funerárias começarão em 26 de setembro, em Hanói e, simultaneamente, em Ho Chi Minh e Ninh Binh.

Desde que o povo cubano ficou sabendo do incidente, seus líderes e organizações lamentaram a repentina notícia. O primeiro secretário do Partido Comunista, Raúl Castro, e o presidente dos Conselhos de Estado e Ministros, Miguel Díaz-Canel, enviaram mensagens à nação asiática, nas quais enviaram condolências ao Governo e ao povo vietnamita, bem como aos familiares e amigos íntimos do falecido.

Apenas alguns dias atrás, apesar de estar gravemente doente, Tran Dai Quang se reuniu com o primeiro vice-presidente cubano, Salvador Valdés Mesa, a quem ele expressou sentimentos de amizade infinita dos vietnamitas em relação a Cuba.

Tran Dai Quang foi o último dignitário recebido pelo Comandante-em-chefe Fidel Castro, em novembro de 2016, pouco antes do desaparecimento físico do líder cubano.