ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

RIO DE JANEIRO.— Na Vila Olímpica dos Jogos da 31ª Olimpíada, que serão inaugurados amanhã, 5 de agosto, nesta cidade, continua desenvolvendo-se o processo de votação para escolher os integrantes da Comissão de Atletas do Comitê Olímpico Internacional, no qual está incluído como candidato o bicampeão olímpico cubano Mijaín López, quem levará novamente a bandeira nacional no lendário estádio Maracaná, durante a inauguração do maior encontro multiesportivo mundial.

Na votação somente poderão participar os atletas que residem na Vila, pois já se sabe que há alguns, como por exemplo os times femininos dos Estados Unidos de basquete que optaram por um luxuoso cruzeiro no litoral desta cidade.

Para Cuba hoje também será notícia o resultado do congresso técnico de boxe, que definirá o caminho dos pugilistas em cujos punhos a delegação antilhana tem depositada boa parte de suas esperanças de medalhas, tal como ocorreu desde que Rolando Garbey e Enrique Regüiferos ganhassem medalhas de prata nas Olimpíadas do México 1968, e Orlando Martínez ganhasse a primeira de ouro, em Munique 1972.

Os judocas chegam hoje à vila, pois alguns dos seus integrantes estiveram em Salvador da Bahía em treinos prévios. A judoca Dayaris Mestre concorre no sábado 6, nos 48 quilos. Da comitiva, só três judocas Idalys Ortiz — campeã em Londres-2012 — Yalennis Castillo e a própria Mestre concorreram em Olimpíadas anteriores, enquanto nos homens, Asley González já teve experiência olímpica, pois obteve a medalha de prata em Londres 2012.

Enquanto se aprimoram as condições para a inauguração amanhã, em 3 de agosto, Cuba recebeu a boa notícia de que o beisebol retornará s competições olímpicas.

JÁ COMEÇARAM ALGUNS ESPORTES

Embora a inauguração esteja prevista para a sexta-feira, 5, já os jogos começaram no dia 3, com o início dos jugos do futebol feminino, no qual Suécia, Canadá, Alemanha, Brasil, França e os Estados Unidos levaram a melhor parte ao vencerem a África do Sul, Austrália, Zimbábue, China, Colômbia e Nova Zelândia, por essa ordem.